Links Patrocinados

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Chip português para encontrar crianças, carros, objectos e animais

Ainda não conheço ao vivo e a cores, mas de facto será uma excelente ideia.

Se Madeleine McCann tivesse no bolso uma caixa azul com tecnologia portuguesa, o seu desaparecimento teria sido resolvido em menos de meia hora. Bastaria ligar um computador à internet, entrar no site da Inosat e descobrir onde estava a menina inglesa que desapareceu na Praia da Luz em Maio de 2007.

Mas nessa altura a Inosat ainda não tinha lançado o Child Locator, produto com que se prepara para invadir o mercado mundial. Trata-se de um pequeno aparelho de 77 milímetros, que pode ser colocado na mochila ou na roupa de uma criança e que a localiza a qualquer momento através do sinal de GPS. Os pais podem mesmo definir um sistema de alertas por telemóvel - por exemplo, receber um SMS todas as tardes assim que a criança sai do perímetro da escola.

Jorge Carrilho, administrador da empresa portuguesa, revela ao i que o Brasil será o mercado com maior investimento, já que o número de raptos naquele país é muito elevado. De tal forma que a Inosat se prepara para montar uma fábrica naquele país e considera a hipótese de abrir uma subsidiária.

A tecnologia de localização da empresa é tão apurada que os planos de internacionalização abrangem uma dezena de países, não apenas com os localizadores de crianças, mas também com localizadores de objectos, MyLocator, de carros, Car Locator, e futuramente de animais, Pet Locator. O que distingue os produtos Inosat, além da tecnologia nacional, é não implicarem mensalidades.

"Estamos mais avançados em Angola, Marrocos, Grécia e França", adianta o administrador, acrescentando que há acordos quase fechados "para o Dubai, o Qatar e a Líbia". É que a segurança e a paz de espírito, como lhe chama Jorge Carrilho, são desejos universais.

CARJACKING Aconteceu há duas semanas em Setúbal. Um condutor parou num sinal vermelho e, em poucos segundos, tinha uma arma apontada à cabeça. Saiu do carro sem nada, deixando carteira e telemóvel. Dirigiu-se ao posto da GNR mais próximo e contou o sucedido calmamente. Pediu para usar a internet, causando alguma estranheza aos militares. Quando introduziu os seus dados no site da Inosat descobriu logo onde estava o carro. Mandou imobilizá-lo e seguiu com uma equipa de agentes boquiabertos para o local onde o veículo foi deixado.

O sistema é simples: a primeira vez que o carro pára - num sinal, numa passadeira, num cruzamento - não volta a funcionar. E a única coisa que impediu o cliente da Inosat de ir logo de carro para casa foi o facto de o carjacking ser um crime público, tendo sido necessário passar pela análise pericial. É provável que os 529 euros que este condutor pagou pelo Car Locator estejam no topo da lista do dinheiro mais bem gasto nos últimos tempos.

BAIXAR O PRÉMIO DE SEGURO Bom comportamento ao volante. É tudo o que precisa para baixar o valor anual do seguro do carro no novo produto que a Inosat vai lançar depois do Verão, em conjunto com uma seguradora portuguesa. Jorge Carrilho explica que a ideia é premiar com um desconto até 30% os condutores que conduzem dentro dos limites de velocidade, em horas com menor tráfego, em zonas de baixa incidência de acidentes. Como? Através do Car Locator, a seguradora recebe todos os dias à noite um relatório sobre o tipo de condução feita e acumula pontos. O cliente pode acompanhar no site a sua evolução e fazer contas. Por exemplo, um prémio de seguro de 500 euros passará para 350 euros caso o condutor atinja o máximo de bom comportamento.

A tecnologia de localização que a Inosat desenvolveu tem inúmeras aplicações potenciais. Os 16 engenheiros que trabalham na tecnológica - que em 2008 custaram 600 mil euros - continuam a aperfeiçoar a solução, tanto no software como no hardware. Neste momento, tentam adaptar o Pet Locator aos vitelos que os finlandeses deixam nas montanhas durante cinco meses. É que, quando regressam para os ir buscar, metade já desapareceram.

Sem comentários:

Publicar um comentário