Links Patrocinados

sábado, 29 de dezembro de 2012

6 Atitudes Para Um Vencedor - Norman Vincent Peale

6 Atitudes Para Um Vencedor - Norman Vincent Peale

O livro incentiva à coragem, pensar como vencedor, ter entusiasmo, ter esperança.
Três passos para uma atitude mental positiva, contém ainda casos de exemplos e histórias motivacionais...
E lembre-se: Nenhum fracasso é permanente, e todos os problemas têm as sementes das suas soluções...

Comece bem o dia. Você pode condicionar o dia nos primeiros cinco minutos depois de acordar. Henry Thoreau costumava ficar na cama de manhã contando a si mesmo todas as boas notícias que conseguia lembrar. A seguir se levantava para enfrentar o dia num mundo cheio de coisas, pessoas e oportunidades boas.

O falecido William H. Danforth, um conhecido homem de negócios, fez esta afirmação: "Todas as manhãs levante-se em toda a sua altura e mostre-se determinado. A seguir, pense incisivamente - tenha pensamentos grandes e elevados. Depois, saia e aja com coragem. Faça isso, e a alegria fluirá para você.

Ame a vida e as pessoas. Ame as pessoas, ame o céu, a beleza e a Deus. Quem ama sempre se torna um entusiasta. Comece hoje a cultivar o amor pela vida. Como Fred, por exemplo, que tem um pequeno restaurante. Colocando a mão enorme sobre o balcão, ele me perguntou:

- Tudo bem, irmão, o que vai querer hoje?

- Você é o Fred?

- Sim.

- Me disseram que os hambúrgueres aqui são bons.

- Irmão, você nunca comeu hambúrgueres assim.

- Está bem, então, quero um.

Debruçado no balcão, com as mãos trêmulas, achava-se um homem idoso que parecia muito pobre. Depois de Fred ter trazido o meu hambúrguer, ele foi até o velho e colocou a mão no ombro dele.

- Tudo bem, Bill - disse ele -, tudo bem. Vou dar-lhe um prato daquela sopa quente que você tanto gosta.

Bill sacudiu a cabeça com gratidão. Outro velho então levantou-se e foi arrastando os pés até o caixa. Fred disse:

- Sr. Brown, cuidado com os carros na avenida. Eles aceleram à noite. - Depois acrescentou:

- Veja o luar sobre o rio. Está lindo hoje.

Quando paguei minha conta, não pude deixar de comentar:

- Sabe de uma coisa, amigo? Gostei da maneira como falou àqueles dois senhores de idade. Você os fez sentir que a vida é boa.

- E por que não faria isso? A vida é boa. Tenho prazer em viver. Esses são dois velhos tristes, e esta casa é um tipo de lar para eles. De todo modo, gosto de ambos.

"A pior falência é a do homem que perdeu o entusiasmo. Se o homem perder tudo na vida, menos o entusiasmo, ele voltará a ter sucesso." - H.W. Arnold

Descubra necessidades e supra-as. Leve o entusiasmo para a sua vida!

Mantenha o seu nível de energia. Para continuar cheio de energia, conforme o propósito de Deus para você, mantenha a entrada de energia maior do que a saída. Se estiver tenso e estressado, a tensão constante o esgotará de maneira que a energia vai se dissipar, e, com ela, o seu entusiasmo. Portanto, descubra a grande técnica de "entregar tudo a Deus". Peça a Deus sabedoria e orientação e depois dê o melhor à vida. Tendo feito o seu melhor, deixe os resultados para o Senhor, confiando na sua providência. Você vai encontrar renovação, novas energias, novo entusiasmo.

Do livro: 6 Atitudes para um Vencedor, de Norman Vincent Peale

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

7 Chapeus Do Gestor e 6 Chapeus Do Edward de Bono

7 Chapeus Do Gestor e 6 Chapeus Do Edward de Bono

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Sentar-se à janela....uma reflexão para mudança!!!

Sentar-se à janela....uma reflexão para mudança!!!

O texto é longo, faça copy & past para ler mais tarde se preferir, mas é indicado que leia ANTES do dia 31 de Dezembro. Combinado?

Era criança quando, pela primeira vez, entrei em um avião.A ansiedade de voar era enorme.Eu queria me sentar ao lado da janela de qualquer jeito, acompanhar o vôo desde o primeiro momento e sentir o avião correndo na pista cada vez mais rápido até a decolagem.

Ao olhar pela janela via, sem palavras, o avião rompendo as nuvens,chegando ao céu azul.Tudo era novidade e fantasia..
Cresci, me formei, e comecei a trabalhar.

No meu trabalho, desde o início, voar era uma necessidade constante. As reuniões em outras cidades e a correria me obrigavam, às vezes, a estar em dois lugares num mesmo dia.

No início pedia sempre poltronas ao lado da janela, e, ainda com olhos de menino, fitava as nuvens, curtia a viagem, e nem me incomodava de esperar um pouco mais para sair do avião, pegar a bagagem, coisa e tal.

O tempo foi passando, a correria aumentando, e já não fazia questão de me sentar à janela, nem mesmo de ver as nuvens, o sol, as cidades abaixo, o mar ou qualquer paisagem que fosse.Perdi o encanto. Pensava somente em chegar e sair, me acomodar rápido e sair rápido.

As poltronas do corredor agora eram exigência . Mais fáceis para sair sem ter que esperar ninguém, sempre e sempre preocupado com a hora,com o compromisso, com tudo, menos com a viagem, com a paisagem,comigo mesmo.

Por um desses maravilhosos 'acasos' do destino, estava eu louco para voltar de São Paulo numa tarde chuvosa, precisando chegar em Curitibao mais rápido possível.

O vôo estava lotado e o único lugar disponível era uma janela, na última poltrona.Sem pensar concordei de imediato, peguei meu bilhete e fui para o embarque.

Embarquei no avião, me acomodei na poltrona indicada: a janela. Janela que há muito eu não via, ou melhor, pela qual já não me preocupava em olhar.
E, num rompante, assim que o avião decolou, lembrei-me da primeira vez que voara.
Senti novamente e estranhamente aquela ansiedade, aquele frio na barriga.
Olhava o avião rompendo as nuvens escuras até que, tendo passado pela chuva, apareceu o céu.Era de um azul tão lindo como jamais tinha visto.
E também o sol, que brilhava como se tivesse acabado de nascer.
Naquele instante, em que voltei a ser criança, percebi que estava deixando de viver um pouco a cada viagem em que desprezava aquela vista..

Autor desconhecido....se conhecer, é só completar a informação e obrigada


Reflexão: será que em relação às outras coisas da minha vida eu também não havia deixado de me sentar à janela, como, por exemplo, olhar pela janela das minhas amizades, do meu casamento, do meu trabalho e convívio pessoal?

Creio que aos poucos, e mesmo sem perceber, deixamos de olhar pela janela da nossa vida.

A vida também é uma viagem e se não nos sentarmos à janela, perdemos o que há de melhor: as paisagens, que são nossos amores, alegrias,tristezas, enfim, tudo o que nos mantém vivos.

Se viajarmos somente na poltrona do corredor, com pressa de chegar,sabe-se lá aonde, perderemos a oportunidade de apreciar as belezas que a viagem nos oferece.

Se você também está num ritmo acelerado, pedindo sempre poltronas do corredor, para embarcar e desembarcar rápido e 'ganhar tempo', pare um pouco e reflita sobre aonde você quer chegar.

A aeronave da nossa existência voa célere e a duração da viagem não é anunciada pelo comandante.

Não sabemos quanto tempo ainda nos resta.Por essa razão, vale a pena sentar próximo da janela para não perder nenhum detalhe.

Afinal, 'a vida, a felicidade e a paz são caminhos e não destinos'.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Liberdade & Responsabilidade

Hoje fala-se tanto de liberdade. Precisam lembrar que liberdade está diretamente ligada com a responsabilidade. Somos livres para fazer escolhas, todas elas, porém somos responsáveis pelas consequências dessas escolhas. Então qual é a mágica? Pensar muito bem ANTES de escolher.
Com relação às consequências, elas nos trarão imensasssss aprendizagens !!!
Boas escolhas......

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

"Um Pouco de Paz", Paul Wilson

Pegue um pouco de tranquilidade.
Concentre-se no silêncio.
Quando ele chegar,
instale-se no seu som.
Depois, leve essa tranquilidade consigo
para onde quer que vá.

Ganhei de presente de Natal de uma pessoa muito especial. Adorei!!!!
O Pequeno Livro da Calma
"Um Pouco de Paz", Paul Wilson

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Sonhe...Sonhe muito

Sonhe… sonhe muito!
Deseje… deseje muito!!!
Porém aprenda a receber bem se alguma coisa sair do "script" do seu sonho.
No seu sonho era tudo espetacular, no momento algo aconteceu diferente e voce deve imediatamente escolher viver aquele momento lindo, profundo.
Desligue-se do espetacular que sonhou.
Transforme o momento presente em algo espetacular porque esse sim existe, está diante de si, ao vivo e a cores. Saboreie-o!!
Ao saborear é Natal dentro de si!
Faço um convite para você construir uma lista das 10 coisas que trouxeram felicidade em 2012.
Feche os olhos e volte a sentir o que sentiu em cada um desses momentos que você colocou na lista.
Esse é um re-sentimento benéfico!
Muita paz neste Natal!
Abraceijos, Angela

Abraços gratuitos

Bem, já terminei as delícias do meu papel doméstico ...risos e agora vim cá dar um abraço a todos. Como sabem eu sou beijoqueira, adoro mandar abraceijos e quando vi este vídeo achei que vocês iam sentir o meu abraço com a mensagem.

Assistam e partilhem. Vamos distribuir abraços gratuitos pela família perto ou longe, pelos amigos, conhecidos, desconhecidos, vizinhos....

lembrem: o abraço é algo que se dá e recebe ao mesmo tempo!!!


Natal com a família distante fisicamente

Em homenagem às famílias que não estiveram juntas fisicamente.

A Europa está a viver um natal diferente. O que será que precisamos aprender para a nossa vida, com esta realidade, que é dura para muitas pessoas?
Em Portugal, por causa da emigração de um dos membros do casal, algumas famílias não estiveram juntas fisicamente. Estiveram juntas com o coração!

Em jeito de revolta e como forma de chamar a atenção para as dificuldades, o grupo SideKingdom12, mandou abaixo vários sites de partidos, do Governo e também de um Banco, penso que o Santander. A defesa deles era para as crianças que não receberam prendas de natal por causa das péssimas escolhas do nosso governo.

Não os questiono nem censuro, porém alerto que é preferível nos ligarmos no lado bom da vida. Se a Internet é assim tão poderosa, então vamos fazer bom uso dela para ligar as famílias que estão distantes.

Sabemos que a ausência de um pai/mãe afeta sobretudo o desenvolvimento e bem-estar dos filhos mais pequenos. Pergunta: O que cada um de nós pode fazer em benefício dessas famílias.

Lembro que quando eu era pequena o telefone era um artigo de luxo. Tínhamos um casal de vizinhos italianos, que moravam em frente à nossa casa. Eles foram os primeiros a ter telefone em casa e eles ofereciam o telefone a quem precisasse. Eles faziam com gosto, em alguns casos nem queriam receber o dinheiro. Naquela época um telefonema custava o preço do kg do bacalhau...risos.

E eu repito a pergunta: O que nós temos e os outros não têm e podemos partilhar, emprestar, deixar desfrutar para amenizar as dificuldades?

Ainda na sequência do telefone emprestado, por enquanto, a minha linha telefónica da Clix, permite fazer chamada para 14 países da europa totalmente gratuita (que a Clix não leia isto) e estou sempre disponível para quem precisa fazer ligações longas . É um dar que não me retira absolutamente nada. Fica aqui mais um convite para quem precisar.

Abraceijos, angela

domingo, 23 de dezembro de 2012

"o que vocês vêm por fora, nem sempre corresponde ao que está lá dentro"

Excelente reflexão: Só quem mora no convento é que sabe o que vai dentro. Na minha profissão, que é belíssima, eu conheço o que vai dentro do convento de cada pessoa que me procura e vos digo "o que vocês vêm por fora, nem sempre corresponde ao que está lá dentro". Respeitamos mais as individualidades e sofrimentos. Não precisamos perguntar, coscuvilhar, é suficiente aprender a respeitar o que não conhecemos. O interior das pessoas nem todos nós conhecemos... e não precisamos conhecer, até porque há situações que talvez não saibamos lidar com elas no dia-a-dia....é suficiente respeitar o outro como voce deseja ser respeitado. abraceijos
Uma mulher acordou uma manhã após a quimioterapia , olhou no espelho e percebeu que tinha somente três fios de cabelo na cabeça.
- Bom (ela disse), acho que vou trançar meus cabelos hoje.
Assim ela fez e teve um dia maravilhoso.
No dia seguinte ela acordou, olhou no espelho e viu que tinha somente dois fios de cabelo na cabeça..
- Hummm (ela disse), acho que vou repartir meu cabelo no meio hoje.
Assim ela fez e teve um dia magnífico.
No dia seguinte ela acordou, olhou no espelho e percebeu que tinha apenas um fio de cabelo na cabeça.
- Bem (ela disse), hoje vou amarrar meu cabelo como um rabo de cavalo.
Assim ela fez e teve um dia divertido.
No dia seguinte ela acordou, olhou no espelho e percebeu que não havia um único fio de cabelo na cabeça.
- Yeeesss... (ela exclamou), hoje não tenho que pentear meu cabelo.


Seja mais humano e agradável com as pessoas.

Cada uma das pessoas com quem você convive está travando algum tipo de batalha.

Viva com simplicidade.

Ame generosamente.

Cuide-se intensamente.

Fale com gentileza.

E, principalmente, não reclame.

Se preocupe em agradecer pelo que você é, e por tudo o que tem!

E deixe o restante com Deus.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Veja o mundo de forma diferente

Amanhã, 21/12/2012 podemos ver o mundo de forma diferente.

Um dos caminhos para esta nova visão é através da leitura de livros, bons livros, palavras que nos fazem reflectir, que nos levam a ganhar competências relacionais e essas competências, juntas, conseguem, transformar este nosso mundo, num mundo melhor, porque seremos melhores pessoas.

Leiam palavras de amor, solidariedade, bondade, honestidade, com-paixão, empatia, apoio, humildade para ser grande e com certeza estaremos a contribuir para esse novo mundo que virá...

Árvore de Natal de livros

Amanhã, 21/12/2012 podemos ver o mundo de forma diferente.

Um dos caminhos para esta nova visão é através da leitura de livros, bons livros, palavras que nos fazem reflectir, que nos levam a ganhar competências relacionais e essas competências, juntas, conseguem, transformar este nosso mundo, num mundo melhor, porque seremos melhores pessoas.

Deixo uma árvore de Natal de livros.

Leiam palavras de amor, solidariedade, bondade, honestidade, com-paixão, empatia, apoio, humildade para ser grande e com certeza estaremos a contribuir para esse novo mundo que virá...

Há sempre algo positivo

Uma mulher acordou uma manhã após a quimioterapia , olhou no espelho e percebeu que tinha somente três fios de cabelo na cabeça.
- Bom (ela disse), acho que vou trançar meus cabelos hoje.
Assim ela fez e teve um dia maravilhoso.
No dia seguinte ela acordou, olhou no espelho e viu que tinha somente dois fios de cabelo na cabeça..
- Hummm (ela disse), acho que vou repartir meu cabelo no meio hoje.
Assim ela fez e teve um dia magnífico.
No dia seguinte ela acordou, olhou no espelho e percebeu que tinha apenas um fio de cabelo na cabeça.
- Bem (ela disse), hoje vou amarrar meu cabelo como um rabo de cavalo.
Assim ela fez e teve um dia divertido.
No dia seguinte ela acordou, olhou no espelho e percebeu que não havia um único fio de cabelo na cabeça.
- Yeeesss... (ela exclamou), hoje não tenho que pentear meu cabelo.


Seja mais humano e agradável com as pessoas.

Cada uma das pessoas com quem você convive está travando algum tipo de batalha.

Viva com simplicidade.

Ame generosamente.

Cuide-se intensamente.

Fale com gentileza.

E, principalmente, não reclame.

Se preocupe em agradecer pelo que você é, e por tudo o que tem!

E deixe o restante com Deus.

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Psicopata no trabalho

Como psicóloga que atua nas empresas, estou dedicando um tempo grande na investigação  sobre a psicopatia no local de trabalho.

Estou lendo muitos livros para fundamentar muito bem e DISMISTIFICAR o conceito de que um psicopata é só aquele que MATA.... há os que matam devagarinho...

-->
Você conhece algum psicopata? Pense bem antes de responder que não. Quando ouvimos essa palavra, logo pensamos em criminosos violentos, serial killers, como vemos na TV e no cinema. Mas a verdade é que nem todos eles são assim.
.
Psicopatia é o termo mais popular para nos referirmos à sociopatia, distúrbio que se caracteriza pela falta de consciência e que é bem mais comum do que imaginamos, atingindo uma em cada 25 pessoas.
.
Entre seus principais "sintomas" estão: 
incapacidade de adequação às normas sociais; 
falta de sinceridade e tendência à manipulação; 
impulsividade; 
irresponsabilidade persistente e 
ausência de remorso.
.
Para atingir seus objetivos, o psicopata é capaz de mentir, roubar, manipular e até matar sem sentir culpa alguma. Talvez seja um marido agressivo, um pai que maltrata os filhos ou um chefe que humilha os funcionários.
.
Embora saibam o que é certo ou errado, não se importam com isso. Conhecem as regras da sociedade e entendem como nós, pessoas com consciência, agimos e pensamos - e lançam mão disso para nos manipular e circular despercebidos em nosso meio.
.
.
.

Livro: Mentes Perigosas - O Psicopata Mora ao Lado
Autora: Ana Beatriz Barbosa Silva
Editora: FONTANAR
Gênero: Psiquiatria/Psicologia
Páginas: 213
Como reconhecer e se proteger de pessoas frias e perversas, sem sentimento de culpa,
que estão perto de nós.

SUMÁRIO
1 RAZÃO E SENSIBILIDADE: UM SENTIDO CHAMADO CONSCIÊNCIA 17
2 OS PSICOPATAS: FRIOS E SEM CONSCIÊNCIA 29
3 PESSOAS NO MÍNIMO SUSPEITAS 43
4 PSICOPATAS: UMA VISÃO MAIS DETALHADA- PARTE 1 61
5 PSICOPATAS: UMA VISÃO MAIS DETALHADA- PARTE 2 77

6 OS PSICOPATAS NO MUNDO PROFISSIONAL 89

7 FOI MANCHETE NOS JORNAIS 101
8 PSICOPATAS PERIGOSOS DEMAIS 123
9 MENORES PERIGOSOS DEMAIS 133
10 DE ONDE VEM ISSO TUDO? 145
11 O QUE PODEMOS FAZER? 163
12 MANUAL DE SOBREVIVÊNCIA 171
13 ALGUMA COISA ESTÁ FORA DA ORDEM 183

Um outro livro:
Lançado em 2005 nos Estados Unidos e publicado em vários países, Meu vizinho é um psicopata se tornou uma referência sobre o assunto e ganhou o prêmio Books for a Better Life (Livros para uma vida melhor) daquele mesmo ano por sua significativa contribuição à sociedade.

-->
Meu Vizinho é um Psicopata
Autora: Martha Stout
Editora: Sextante



sábado, 15 de dezembro de 2012

Felicidade

Felicidade por Pedro Chagas Freitas - Congresso Felicidade
o autor fez uma adaptação muito criativa usando este texto e entrelaçando com a sexualidade. Não tenho o texto completo. uma pena!

O amor é para ser aquilo que não tem razão, aquilo que não tem explicação, aquilo que te tira da tua mão.
O amor é para ser aquilo que te renova de ti, de um Eu que sempre foste, e que atira para um nós que nunca deixaste de ser.
Depois, com o passar dos dias, se verá se ele resiste. Depois, com o passar dos dias, se verá se ele continua a ser, todos os dias, o milagre que hoje é.
Depois pode até matar-te por afogo, enforcar-te por ansiedade. Mas que se dane: se isso acontecer já viveste, abençoado felizardo, o milagre de seres amor: de seres o que é, verdadeiramente, o amor.
Se isso acontecer já sentiste a felicidade vezes sem conta, aquela sensação de que se a vida acabasse logo ali já teria valido a pena.
Se isso acontecer já foste o deslumbramento de seres amor, a realização de seres amar.
Se isso acontecer, já perdeste o ar tantas vezes, já ficaste sem respiração ainda mais tantas vezes.
Ama, perde-te em amar, vive amar: sê amar.
Deixa que amar te ocupe, deixa que amar te conquiste.
Ama o abraço até à exaustão, ama o beijo até à devoção, ama o orgasmo até à comoção.
Ama. Ama como se fosse para sempre.
E quando se ama, naquele exacto segundo em que se ama, tem de se acreditar que é para sempre.
Mais: tem de se ter a certeza de que é para sempre.
Amar, mesmo que por segundos, mesmo que por instantes, é para sempre.
E é isso, essa sensação de segundos ou de minutos ou de dias ou de horas ou de anos ou meses, que é para sempre.
Ama. Ama por inteiro.
Ama sem nada pelo meio.
Ama, ama, ama, ama. Ama.
Porque é só por aquilo que te faz perder a respiração que vale a pena respirar.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Conceito de micro-felicidade

Congresso da Felicidade = conceito de micro-felicidade.

8 e 80...

8 = micro felicidade é você saber saborear um minuto de felicidade. um de cada vez!

80 = multi felicidade é você ter um excesso de estímulos num mesmo momento e não intensificar nenhum dos estímulos.

Micro é a alegria que senti ao receber a notícia de que o meu amigo virá passar o natal cá em Portugal, com a família e, vamos nos ver.

Esta partícula de felicidade pode ser suficiente para preencher o meu dia. Como? podemos intensificar o efeito da notícia em nós.
Podemos contar para outros amigos que também vão gostar da notícia.
Podemos começar a pensar na surpresa que faremos para ele.
ou na sobremesa que ele tanto aprecia!
ou qual o filme que queremos assistir junto com ele!
ou todas as novidades que queremos contar para ele!
vejam....a origem esteve numa partícula de felicidade, num minuto de telefonema ou nuns segundos de leitura de um email... está em nós!!!

Multi é recebermos muitos estímulos ao mesmo tempo.

Imagine que diversos amigos que moram em cidades e até países distantes, virão cá em casa no Natal. Serei eu capaz de saborear intensamente cada um deles? ou serão tantos estímulos que depois da festa, eu vou lamentar não ter percebido que....ter falado sobre... ter conversado com...?

Multi também pode ser você realizar um sonho/desejo antigo, juntando vários estímulos diferentes, como por exemplo: Vou conhecer o Rio de Janeiro por um dia, caminhar pela manhã na praia de Copacabana, conhecer o Sambódromo, comer carne seca na feira do Nordestino em São Cristóvão, almoçar uma bela feijoada, depois tomar água de côco na Barra da Tijuca, correr e chegar ao Canecão para o Show do meu cantor preferido... são tantas emoções que eu tenho dificuldade de saborear cada uma delas.

Dei um exemplo complexo, porém também pode ser um exemplo mais simples que o palestrante apresentou: Hospedar-se num hotel em Manhatan, tomar um banho de Jacuzzi, com uma taça de champagne e também comer morangos deliciosos....no mesmo momento.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Congresso da Felicidade

Congresso da Felicidade
Um congressista referiu que "ao perguntar para uma pessoa o que ela faz quando precisa de algo para a sua casa, ela responde: Compro feito! E ele defende que o que precisamos, se sabemos fazer, devemos fazê-lo porque me ajuda a tomar consciencia de algumas das minhas incapacidades e a me orgulhar do bom uso que dou às minhas capacidades e, em especial porque enqauto eu faço o que preciso, esqueço de mim."

Eu completo que devemos viver, conviver, saborear, desligar o complicômetro, aprender uma forma de viver por viver, viver com intensidade cada momento....quanto mais intenso, maior é o registo que fazemos daquela ocorrência, daquele determinado momento.

3 palestrantes falaram sobre o quanto as emoções negativas têm mais intensidade em nós do que as positivas, no entanto, na minha opinião, temos a capacidade de aprender a intensificar as emoções positivas. Uma das formas que a Inteligencia Emocional ensina é a tomar consciencia do que estamos vivendo, na hora em que estamos vivendo e identificar que aquilo é bom e decidir saborear, desfrutar, intensificar.

Podemos também reforçar essa vivência positiva através daquele estilo de "sonho acordado" em que nós nos aquietamos, fechamos os olhos e nos transportamos para aquele lugar de paz que estivemos, aquela situação e re-lembramos aquele momento positivo consciente que vivemos e então re-sentimos aquela experiencia positiva.

Portanto, a minha conclusão é de que podemos escolher intensificar o positivo e também re-sentir quantas vezes assim o desejarmos.

Façam a escolha certa, intensifiquem e re-sintam e eu bato palmas para vocês. muitos beijinhos.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

O Poder do Hábito - Charles Duhigg

Resenha de Diogo Toledo

Mudar... Como?
Em 1987, a Estação King´s Cross, hoje famosa em grande parte pela sua importância na série Harry Potter, passou por um incêndio que durou cerca de 6 horas e matou 31 pessoas, além de deixar dezenas de feridos. Motivo: Hábitos corporativos nocivos. Eu estava no metro enquanto lia essa passagem e não estava tão quente assim, mas eu suava em bicas.


No mesmo ano, Howard Schultz comprou uma rede de cafeterias com 6 lojas. Este rapaz fora criado num Conjunto Habitacional Público no Brooklyn. Seus colegas de escola tornaram-se bombeiros e policiais locais, ou foram presos. Em 3 anos, as 6 lojas passaram a ser 84. Em seis anos, o número passava de mil. Hoje, a Starbucks detém 17 mil lojas em mais de 50 países. Motivo: Hábitos pessoais grandiosos desenvolvidos por Schultz e tornados em hábitos corporativos de sucesso.


Saber que muitas coisas em nossas vidas são “uma questão de hábito” todos sabemos e usamos a expressão com frequência em nosso dia a dia. Mas daí a entender o quanto estes hábitos influênciam a sua rotina é outra história. Perceber exatamente porque você escolhe – sim, você escolhe, ou melhor, escolheu isso em algum momento da sua vida – comer algo gorduroso no lugar de uma refeição saudável, ou gastar mais dinheiro do que ganha. Provavelmente você viu uma recompensa excelente da primeira vez, e da segunda vez também... Mas depois de anos desses padrões repetidos, você pode acabar com o dobro do peso ou com os cartões de crédito estourados...


O que fazer quando tudo dá errado e continua a dar errado? Já dizia Eistein, a definição de insanidade é: “fazer a mesma coisa diversas vezes esperando resultados diferentes.” Mas o que acontece quando você nem sabe o que tem repetido tantas vezes a ponto de errar. Ou quando sabe que, mas não consegue mudar. Quais são as peças chaves para a sua mudança, o seu crescimento, o seu sucesso? Quais as metodologias utilizadas pelas empresas que pode te ajudar nisso? Quais as melhores rotinas para você melhorar as suas vendas?


As respostas sempre estiveram dentro de você, são seus hábitos e a sua capacidades de escolher quais são bons, para poder mantê-los, e quais são maus, e mudá-los. No livro “O Poder do Hábito”, Charles Duhigg descreve várias pesquisas que comprovam como somos movidos pelos nossos hábitos, diariamente. Demonstra quais são, passo a passo, as fases que compõem um hábito. Apresenta a forma mais fácil de mudá-los. E ainda apresenta fatos já conhecidos, mas como a visão de como os hábitos influenciaram este ou aquele determinado evento.


Quer ver... Um exemplo desse pensamento é como os hábitos de uma população, e as mudanças feitas neles, transformaram um boicote aos ônibus de Montgomery, Alabama, num dos maiores movimentos em prol dos Direitos Civis, no Estados Unidos. O mesmo movimento que apresentou à sociedade, como o conhecemos hoje, a grandiosa figura de Dr. Martin Luther King, um dos maiores defensores da campanha de não violência e amor ao próximo.


Um livro que todos devem ler no mínimo uma vez na vida, para tomar consciência de tudo aquilo que pode-se fazer para mudar a relação interna e externa que temos. Este livro, com certeza, vai mudar a forma como você observa o mundo e vai permitir que consiga exercitar de forma mais plena o seu livre-arbítrio.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

A estrada da Vida sobe e desce

Nesta fase do ano é normal eu receber pessoas com grandes dúvidas e a procura de um objetivo palpável para o ano seguinte. Este ano esta procura está mais intensa.

Algumas pessoas têm dificuldade em acreditar que a vida pode ser vista como uma estrada, que podemos chamar de A3 (Porto/Braga).

Quando saímos do Porto, temos como objetivo conseguir os 45km de estrada com tranquilidade e chegarmos no horário previsto em Braga. Na vida também é assim, quando traçamos planos, queremos cumpri-los nos prazos definidos.

Porém quando chegamos na altura de Cruz na A3, encontramos uma subida acentuada, bem acentuada mesmo e, como é natural o rendimento do veículo reduz um pouco, porém nós mudamos a marcha de velocidade para garantir que o veículo consegue subir com eficácia. Na vida acontece o mesmo. Quando temos um problema difícil, uma adversidade pequena ou grande, nós mudamos o discurso ou vamos a procura de outros recursos dentro de nós, para assegurar que vamos conseguir ultrapassar aquele momento.

Quando chegamos a Braga estamos satisfeitos pela conquista e…. Quando regressamos ao Porto temos o prémio. Sabe qual? É que toda estrada que sobe na ida, desce no regresso!!!

É uma regra básica da estrada da vida também. Tudo que é difícil na subida, depois fica mais fácil na descida. É por conta da aprendizagem!!!

Optimismo faz bem!

Há muitas reflexões sobre o pessimista e o optimista. Esta é mais uma, que pode ser útil para quem ainda não conseguiu aceitar que o optimismo (sem exageros) é o melhor remédio!!! abraceijos
 
Dois irmãos gémeos, um pessimista e um optimista, receberam as suas prendas no Natal.
O pessimista teve uma bicicleta.
O optimista recebeu um kilo de bosta de cavalo numa caixinha.
Diz o pessimista: "Agora que recebi um bicicleta, vou cair. Partir os dentes e a cabeça, vou-me aleijar, que chatice! E tu mano, o que recebeste?"
O Optimista responde: "Eu recebi um cavalo, mas ainda não sei onde está!

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Idade....cronológica?

Há muito quem se pré-ocupe com a idade cronológica. O importante é a idade emocional, o quanto vivemos intensamente connosco, o quanto desfrutamos dos nossos merecimentos, o quanto partilhamos o que somos, pensamos e sentimos.
Imagine se nós estivéssemos na época em que ainda não havia certidão de nascimento.
Qual a sua idade que daria a si mesmo?
boa reflexão!!!

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Oscar Niemeyer

Na folha branca de papel faço o meu risco,
Retas e curvas entrelaçadas,
E prossigo atento e tudo arrisco
Na procura das formas desejadas.

São templos e palácios soltos pelo ar,
Pássaros alados, o que você quiser.
Mas se os olhar um pouco devagar,
Encontrará, em todos, os encantos da mulher.

Deixo de lado o sonho que sonhava.
A miséria do mundo me revolta.
Quero pouco, muito pouco, quase nada.

A arquitetura que faço não importa.
O que eu quero é a pobreza superada,
A vida mais feliz, a pátria mais amada.

Oscar Niemeyer
1907 * 2012

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

O Campo - A força secreta que move o universo - Lynne Mctaggart

O Campo
A força secreta que move o universo
de Lynne Mctaggart
O melhor livro científico-espiritual do ano

O Campo mistura de conhecimentos de espiritualidades ancestrais, de Física Quântica de vanguarda e de investigação sobre ADN, mostrando como tudo está ligado. A autora desafia-nos a agir e a mudar os nossos pensamentos com base neste conhecimento. Em última análise, a mudar o nosso mundo.
O Campo de Lynne Mctaggart

Críticas de imprensa
«A Física pode estar prestes a enfrentar uma revolução no modo como compreendemos o Universo.»
Arthur C. Clarke

«Um livro crucial para compreender a investigação de vanguarda nos campos da consciência e da energia.»
William Bloom

«Um dos livros mais poderosos e esclarecedores que alguma vez li. Um excelente trabalho de apresentação dos indícios científicos que provam aquilo que os mestres espirituais nos dizem há séculos.»
Wayne W. Dyer

«Prepare-se para mudar de ideias sobre a natureza da realidade»
Joan Borysenko

COMECEI A ESCREVER ESTE LIVRO HÁ OITO ANOS, quando não parava de me deparar com milagres ao longo do meu trabalho. Não estou me referindo a milagres no sentido comum do termo, quando o mar se abre ou pães se multiplicam, mas no sentido de terem violado por completo a maneira como pensamos que o mundo funciona. Os milagres com os quais me defrontei diziam respeito a sólidas evidências científicas relacionadas a métodos de cura que zombam de todas as nossas noções de biologia.

Descobri, por exemplo, alguns bons trabalhos sobre homeopatia. Pesquisas aleatórias, duplamente cegas e controladas por placebos — o padrão de ouro da medicina científica moderna -, demonstraram que é possível pegar uma substância, diluí-la a ponto de não restar nenhuma molécula dela, dar essa diluição — que agora nada mais é do que água - a um paciente e este se recuperar.

Descobri pesquisas semelhantes em relação à acupuntura; foi verificado, em trabalhos sérios, que introduzir agulhas finas em certos pontos do corpo ao longo dos chamados meridianos de energia melhora determinados problemas.

No que diz respeito à cura espiritual, embora algumas pesquisas fossem de má qualidade, várias eram boas o suficiente para indicar que algo interessante estava acontecendo, e que talvez a cura à distância encerrasse algo mais do que um mero efeito placebo ou uma sensação agradável. Em um grande número de trabalhos científicos, os pacientes nem mesmo sabiam que alguém estava tentando curá-los. Contudo, havia indícios de que certas pessoas podiam se concentrar em um paciente a distância e, de alguma maneira, o estado de saúde do doente melhorava.

Tais descobertas me deixaram surpresa, mas também profundamente confusa. Todas essas atividades se baseavam em um paradigma do corpo humano inteiramente distinto daquele defendido pela ciência moderna. Eram sistemas médicos que diziam trabalhar em "níveis energéticos", mas eu continuava a me perguntar qual seria a exata energia a que eles poderiam estar se referindo.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Rápido e Devagar

Daniel Kahneman

Editora: Editora Objetiva

Daniel Kahneman, ganhador do Prêmio Nobel de Economia por pesquisas que colocam em xeque a ideia de que a nossa tomada de decisões é essencialmente racional, é um dos mais importantes pensadores do século XXI. Suas ideias tiveram um impacto profundo em muitas áreas, incluindo economia, psicologia, medicina e política, mas é a primeira vez que o autor reúne seus muitos anos de pesquisa e pensamento em um único livro. Rápido e devagar: duas formas de pensar apresenta uma visão tão inovadora quanto inquietante sobre como a mente funciona e como as decisões são tomadas. No livro, o autor explica as duas formas como se desenvolvem o pensamento humano: uma é rápida, intuitiva e emocional; a outra, mais lenta, deliberativa e lógica. Kahneman expõe as capacidades extraordinárias — e também os defeitos e vícios — do pensamento rápido e revela o peso das impressões intuitivas no processo de tomada de decisões. O autor revela quando é possível ou não confiar na intuição. Oferece insights práticos e esclarecedores sobre como são tomadas as decisões nos negócios e na vida pessoal, e como se pode usar diferentes técnicas para proteger contra falhas mentais que, muitas vezes, colocam o indivíduo em situações de apuro. (Rápido e devagar - Duas formas de pensar)

sábado, 1 de dezembro de 2012

troikadelivros

O Projecto TROIKA DE LIVROS permite a colocação on-line dos
livros que temos lá por casa, vendendo-os ou dando-os gratuitamente a
quem precisa.
Todos os anos os pais com filhos mais velhos fazem normalmente
transitar os seus livros para os seguintes podendo deste modo poupar um
pouco no orçamento do agregado familiar.

Com o Troikadelivros.com já é possível indicar a lista dos livros que
procuramos e esperar que alguém os tenha à venda ou até que os ofereça.

Um portal útil para todas as famílias e indivíduos que pretendam
vender, trocar ou comprar livros.
Link: www.troikadelivros.com

A servidão moderna - filme e livro

“Toda verdade passa por três estágios.
No primeiro, ela é ridicularizada.
No segundo, é rejeitada com violência.
No terceiro, é aceita como evidente por si própria.”

Schopenhauer


Para ler e ver mais:
http://delaservitudemoderne.org/texto-po.html

http://delaservitudemoderne.org/video-po.html
http://delaservitudemoderne.org/video-po.html#pelicula
https://docs.google.com/file/d/0BzNQixqun79DLWowNGZtZEMzaXM/edit?pli=1

   A servidão moderna é um livro e um documentário de 52 minutos produzidos de maneira completamente independente; o livro (e o DVD contido) é distribuído gratuitamente em certos lugares alternativos na França e na América latina. O texto foi escrito na Jamaica em outubro de 2007 e o documentário foi finalizado na Colômbia em maio de 2009. Ele existe nas versões francesa, inglesa e espanhola. O filme foi elaborado a partir de imagens desviadas, essencialmente oriundas de filmes de ficção e de documentários.

    O objetivo principal deste filme é de por em dia a condição do escravo moderno dentro do sistema totalitário mercante e de evidenciar as formas de mistificação que ocultam esta condição subserviente. Ele foi feito com o único objetivo de atacar de frente a organização dominante do mundo.

    No imenso campo de batalha da guerra civil mundial, a linguagem constitui uma de nossas armas. Trata-se de chamar as coisas por seus nomes e revelar a essência escondida destas realidades por meio da maneira como são chamadas.  A democracia liberal, por exemplo, é um mito já que a organização dominante do mundo não tem nada de democrático nem de liberal. Então, é urgente substituir o mito de democracia liberal por sua realidade concreta de sistema totalitário mercante e de expandir esta nova expressão como uma linha de pólvora pronta para incendiar as mentes revelando a natureza profunda da dominação presente.

    Alguns esperarão encontrar aqui soluções ou respostas feitas, tipo um pequeno manual de “como fazer uma revolução?” Esse não é o propósito deste filme. Melhor dizendo, trata-se mais exatamente de uma crítica da sociedade que devemos combater. Este filme é antes de tudo um instrumento militante cujo objetivo é fazer com que um número grande de pessoas se questionem e difundam a crítica por todos os lados e sobretudo onde ela não tem acesso. Devemos construir juntos e por em prática as soluções e os elementos do programa. Não precisamos de um guru que venha explicar à nós como devemos agir: a liberdade de ação deve ser nossa característica principal. Aqueles que desejam permanecer escravos estão esperando o messias ou a obra que bastando seguir-la  ao pé da letra, libertam-se. Já vimos muitas destas obras ou destes homens em toda a história do século XX que se propuseram constituir a vanguarda revolucionária e conduzir o proletariado rumo a liberação de sua condição. Os resultados deste pesadelo falam por si mesmos.

    Por outro lado, condenamos toda espécie de religião já que as mesmas são geradoras de ilusões e nos permite aceitar nossa sórdida condição de dominados e porque mentem ou perdem a razão sobre muitas coisas. Todavia, também condenamos todo astigmatismo de qualquer religião em particular. Os adeptos do complot sionista ou do perigo islamita são pobres mentes mistificadas que confundem a crítica radical com a raiva e o desdém. Apenas são capazes de produzir lama. Se alguns dentre eles se dizem revolucionários é mais com referência às “revoluções nacionais” dos anos 1930-1940  que à verdadeira revolução liberadora a qual aspiramos. A busca de um bode expiatório em função de sua pertencia religiosa ou étnica é tão antiga quanto a civilização e não é mais que o produto das frustrações daqueles que procuram respostas rápidas e simples frente ao mal que nos esmaga. Não deve haver ambigüidade com respeito a natureza de nossa luta. Estamos de acordo com a emancipação da humanidade inteira, fora de toda discriminação. Todos por todos é a essência do programa revolucionário ao qual aderimos.

    As referências que inspiraram esta obra e mais propriamente dita, minha vida, estão explicitas neste filme: Diógenes de Sinope, Etienne de La Boétie, Karl Marx e Guy Debord. Não as escondo e nem pretendo haver descoberto a pólvora. A mim, reconhecerão apenas o mérito de haver sabido utilizar estas referências para meu próprio  esclarecimento. Quanto àqueles que dirão que esta obra não é suficientemente revolucionária, mas bastante radical ou melhor pessimista, lhes convido a propor sua própria visão do mundo no qual vivemos. Quanto mais numerosos em  divulgar estas idéias, mais rapidamente surgirá a possibilidade de uma mudança radical.

    A crise econômica, social e política revelou o fracasso patente do sistema totalitário mercante. Uma brecha surgiu. Trata-se agora de penetrar mas de maneira estratégica. Porém, temos que agir rápido pois o poder, perfeitamente informado sobre o estado de radicalização das contestações, prepara um ataque preventivo sem precedentes. A urgência dos tempos nos impõe a unidade em vez da divisão pois o quê nos une é mais profundo do quê o que nos separa. É muito fácil criticar o quê fazem as organizações, as pessoas ou os diferentes grupos, todos nós reclamamos uma revolução social. Mas na realidade, estas críticas são provenientes do imobilismo que tenta convencer-nos de que nada é possível.

    Não devemos deixar que o inimigo nos vença, as antigas discussões de capela no campo revolucionário devem, com toda nossa ajuda, deixar lugar à unidade de ação. Deve-se duvidar de tudo, até mesmo da dúvida.

    O texto e o filme são isentos de direitos autorais, podem ser recuperados, divulgados, e projetados sem nenhuma restrição. Inclusive são totalmente gratuitos, ou seja, não devem de nenhuma maneira ser comercializados. Pois seria incoerente propor uma crítica sobre a onipresença das mercadorias com outra mercadoria. A luta contra a propriedade privada, intelectual ou outra, é nosso golpe fatal contra a dominação presente.

    Este filme é difundido fora de todo circuito legal ou comercial, ele depende da boa vontade daqueles que asseguram sua difusão da maneira mais ampla possível. Ele não é nossa propriedade, ele pertence àqueles que queiram apropriar-se para que seja jogado na fogueira de nossa luta.

Jean-François Brient e Victor León Fuentes

Lago de Genebra




Há dias em que nos sentimos pesados, cansados a arrastar. Pode ser apenas cansaço físico, porém pode ser queda energética.
Outras vezes passam por nós pensamentos desnecessários.
Podemos utilizar a imaginação para nos lavar por dentro e por fora.
A água é condutora de energia, imagine-se a receber energia purificante, revitalizante e faça isto durante apenas 5 minutos e regresse ao seu trabalho.
bom proveito com esta imagem linda do Jet D´Eau
Foi um "logo" em 2008 UEFA Championships. É uma das maiores fontes do mundo. Fica no ponto onde deságua o Lago de Genebra no rio Ródano, é visível em toda a cidade e do ar, mesmo quando voando sobre Genebra a uma altitude de 10 km.
500 litros de água por segundo são jorrados a uma altitude de 140 metros.
Quando o vento muda de direção o efeito é lindíssimo e nos molhamos todos.
A noite, quando está iluminado é uma beleza rara!!!

Mont Blanc - Genebra



O Monte, aliás o Mont Blanc, é um símbolo em Genebra. vê-se com nitidez estando na ponte do mesmonome, que é uma das pontes mais frequentadas de Genebra, não só porque se encontra em pleno centro da cidade, como por ser a primeira passagem, entre as duas margens, do fim do lago. Apesar de se ver com total nitidez, ele está localizado na França. Do alto, pode-se desfrutar de uma vista extraordinária sobre a cidade de Genebra e o lago, a cadeia dos Alpes, as montanhas majestosas do Jura e claro, o famoso Mont blanc. O teleférico nos leva a uma altitude de 1.100 metros.

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Não há praga que sempre dure!!!

Todos nós podemos ser tangerinas docinhas e.... nós todos juntos podemos adoçar o nosso mundo...e cada um adoçando o mundo que está a sua volta, somando, teremos muitos mundos docinhos.... é um excelente convite! Mãos a obra pessoal!!!!
 
Há uns anos, comprei umas pequenas tangerineiras numa feira. Tardaram em crescer e tiveram de lutar contra uma miríade de inimigos - de ácaros a moscas, de fungos a geadas - para sobreviver. Este inverno, atingiram a sua maioiridade e devolveram-me orgulhosas uma colecção invejável dos frutos mais perfumados e doces de que me lembro. Vamos seguir-lhes o exemplo, pessoal: não baixar os braços e fazer de 2013 o ano da reacção à nacional-depressão. Não há praga que sempre dure !

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Rio Danúbio Budapeste e a energia da água (gelada)



Eu acredito na força da natureza, na energia que ela nos transmite e que somos merecedores dessa energia.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Casamento blindado

Numa fase em que há tantas discórdias no mundo, nas famílias, nas empresas, devemos conhecer formas de PROTEGER o casamento/relacionamento.

O livro "casamento blindado" é interessante

O que você faria se tivesse de proteger um grande tesouro? Guardaria esses bens mais preciosos num simples armário ou entregaria tudo aos cuidados de um banco com cofre bem seguro? Se a resposta é óbvia no que diz respeito a bens materiais, mais ainda quando se trata de uma riqueza muito maior: o casamento.
Alvo de ataques, ele precisa ser devidamente protegido. Em Casamento Blindado, o casal Renato e Cristiane Cardoso apresenta orientações para todo casal que reconhece o valor da vida conjugal e deseja resguardá-la do risco do divórcio. Para isso, eles se valem da longa experiência adquirida durante os anos em que aconselharam e ministraram cursos a milhares de casais, e que compartilham também como apresentadores do programa The Love School - A Escola do Amor. leia mais em http://www.casamentoblindado.com/

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Termas de Széchenyi - Um mergulho psicológico

A deliciosa estadia nas Termas de Széchenyi que faz parte dum imenso complexo de lazer e tratamento, Possui spa, banhos e piscinas públicas, "hospital" fisioterápico, diversos tipos de massagem e de relaxamento para o corpo. Vale a pena, uma delícia!!! Uma pena que acabou na 2ªf.

Recomendo vivamente. Visitar Budapeste é algo muito interessante. vou colocar algumas coisinhas interessantes para vocês se deliciarem.



Szechenyi, o maior complexo de banhos termais da Europa. É um lugar para usufruir e aproveitar o dia todo! A melhor parte, é literalmente "mergulhar" neste universo!
Budapeste é muito famosa por estes banhos termais, sendo que na cidade existem mais de 50. É algo típico e muito utilizado entre os habitantes como lazer e por suas propriedades curativas e revigorantes.



Ficar envolto em águas minerais quentes, variando entre 28-38 graus de temperatura! Quentinhooooo!!!!
Esse aconchego na água é uma viagem psicológico, temos a sensação de um regresso ao útero materno. Fantástico!
Apesar de ter muita gente, foi possivel abstrair-me completamente.
O cheiro no ar é diferente, não é aquele cheiro fresco de cloro. Pelo que entendi há lençóis de água debaixo da terra, e as águas são comprovadamente curativas e utilizadas para relaxamento. Eu confirmo que saí revigorada, descarregada, com uma disposição para todo o dia, para além daquela minha disposição que vocês já conhecem. Muiiiiito bom!!!

Localização: Fica no lado de Peste, dentro do Parque da Cidade. Dá para descer na estação de metrô que recebeu o mesmo nome: Széchenyi.


abraceijos energizados 


Budapeste - Termas


Danúbio a noite em Budapeste - Maravilha!!!

Danúbio a noite em Budapeste - aliás as 16.40hs da tarde!
É de facto uma imagem belíssima!
O passeio de barco pelo Danúbio é extasiante!!!



Encantador!!!!
Vale a pena fazer o passeio a noite.
Sim, eu fiz o passeio de dia no anfíbio (outra emoção espetacular!!!!) e a noite eu voltei para assistir a esta maravilha.

Anfíbio no Rio Danúbio - Budapeste




Eu fiquei deliciada a assistir a suavidade com que este ônibus anfíbio desliza nas águas.
Não resisti e feito criança decidi que ia desfrutar do brinquedo.  O próximo vídeo foi filmado, estando eu dentro do anfíbio e registei o momento interessante do mergulho dele nas águas e depois também a saída dele da água. a evolução das máquinas!!!

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

E-books

Lista de E-books
Eu já usei alguns destes sites e achei interessante para uso de pesquisadores.
Há de tudo, muitos temas variados.
Abraceijos

O'Reilly online http://www.oreilly.com/openbook/ | http://sysadmin.oreilly.com/
Computer books and manuals
http://www.hoganbooks.com/freebook/webbooks.html | http://www.informit.com/itlibrary/ | http://www.fore.com/support/manuals/home/home.htm | http://www.adobe.com/products/acrobat/webbuy/freebooks.html
The Network Book http://www.cs.columbia.edu/netbook/
Some #bookwarez.efnet.irc links
http://www.extrema.net/books/links.shtml
Some #bookwarez.efnet.irc fiction
http://194.58.154.90:4431/enscifi/
Pimpas online books (Indonesia)
http://202.159.16.55/~pimpa2000 | http://202.159.15.46/~om-pimpa/buku
Security, privacy and cryptography
http://theory.lcs.mit.edu/~rivest/crypto-security.html | http://www.oberlin.edu/~brchkind/cyphernomicon/
My own misc online reading material
http://www.eastcoastfx.com/docs/admin-guides/ | http://www.eastcoastfx.com/~jorn/reading/
Computer books http://solaris.inorg.chem.msu.ru/cs-books/
| http://sweetrude.net/~cab/books/ | http://alaska.mine.nu/books/ | http://poprocks.dyn.ns.ca/dave/books/ | http://58-160.skarland.uaf.edu/books/ | http://202.186.247.194/~ebook/
| http://hooligans.org/reference/
Linux documentation http://www.linuxdoc.org/docs.html
FreeBSD documentation http://www.freebsd.org/tutorials/
Sun documentation http://osiris.imw.tu-clausthal.de:8888/ | http://uran.vvsu.ru:8888/
SGI documentation
http://newton.unicc.chalmers.se/ebt-bin/nph-dweb/dynaweb;td=2 | http://techpubs.sgi.com/library/tpl/cgi-bin/init.cgi
IBM Online Redbooks http://www.redbooks.ibm.com/
Digital Unix documentation
http://www.unix.digital.com/faqs/publications/base_doc/DOCUMENTATION/V40D_HTML/V40D_HTML/LIBRARY.HTM
Filesystem Hierarchy Standard
http://www.pathname.com/fhs/2.0/fhs-toc.html | http://www.linuxbase.com/
UNIX stuff http://www.ucs.ed.ac.uk/~unixhelp/index.html | http://www.uwsg.indiana.edu/usail/ | http://www.isu.edu/departments/comcom/unix/workshop/unixindex.html | http://www.franken.de/users/lorien/unix.html | http://www.cs.buffalo.edu/~milun/unix.programming.html
Programmers reading http://www.programmersheaven.com/ | http://www.cs.monash.edu.au/~alanf/se_proj97/
Programming Pearls 2nd edition
http://www.cs.bell-labs.com/cm/cs/pearls/
C stuff
http://www.strath.ac.uk/CC/Courses/NewCcourse/ccourse.html | http://www.cm.cf.ac.uk/Dave/C/CE.html | http://www.cprogramming.com/tutorial.html | http://www.cs.virginia.edu/c++programdesign/slides/ | http://www.icce.rug.nl/docs/cplusplus/cplusplus.html
Perl stuff http://www.webdesigns1.com/perl/ir.html | http://www.ictp.trieste.it/texi/perl/perl_toc.html | http://www.itknowledge.com/tpj/ | http://www.plover.com/~mjd/perl/
Java stuff http://www.cs.brown.edu/courses/cs016/book/ | http://polaris.cis.ksu.edu/~schmidt/CIS200/ | http://www.daimi.au.dk/dProg1/java/langspec-1.0/index.html
Lisp stuff
http://www.cs.cmu.edu/afs/cs.cmu.edu/project/ai-repository/ai/html/cltl/mirrors.html
| http://www.cs.tulane.edu/www/Villamil/lisp/
Ada stuff http://www.adahome.com/Tutorials/
Database reading
http://www.bus.orst.edu/faculty/brownc/lectures/db_tutor/index.htm
SQL stuff http://w3.one.net/~jhoffman/sqltut.htm | http://www.doc.mmu.ac.uk/STAFF/E.Ferneley/SQL/index.htm | http://www.daimi.au.dk/~oracle/sql/index.html
Visual Basic stuff http://www.vb-world.net/books/
Handbook of Applied Cryptography
http://www.cacr.math.uwaterloo.ca/hac/
X Window System http://tronche.com/gui/x/ | http://www.cen.com/mw3/refs.html | http://www.gaijin.com/X/
GTK and Gnome stuff
http://developer.gnome.org/doc/GGAD/ggad.html
QT and KDE stuff http://www.troll.no/qt/ | http://developer.kde.org/documentation/tutorials/index.html | http://www.arrakis.es/~rlarrosa/tutorial.html
Corba stuff http://www.iona.com/hyplan/vinoski/
TCP/IP info http://www.tunix.kun.nl/ptr/tcpip.html
Misc programmers reading
http://www.cs.wisc.edu/~chilimbi/Pubs.html | http://www.ic.arizona.edu/~nromano/spring99/readings.htm
Some useful tech articles http://www.sysadminmag.com/ | http://www.dotcomma.org/
Considering Hacking Constructive
http://www.firstmonday.dk/issues/issue4_2/gisle/index.html
Eric's Random Writings http://www.tuxedo.org/~esr/writings/
IBM's History
http://www.ibm.com/ibm/history/story/text.html
Electronic Publishing
http://www.civeng.carleton.ca/~nholtz/ElectronicPublishing.html
Digital processing http://www.dspguide.com/pdfbook.htm
The Hardware Book http://sunsite.auc.dk/hwb/
Network iQ Router Reference Manual
http://www.teltrend.co.nz/documentation/networkiq/rel74/html/rmtoc.htm
Cisco Product Documentation
http://www.cisco.com/univercd/cc/td/doc/product/
Novell developers appnotes
http://developer.novell.com/research/appnotes/
Icons for your desktop http://nether.tky.hut.fi/iconstore/
Hackers' Hall of Fame at Discovery Online
http://www.discovery.com/area/technology/hackers/hackers.html
Symbols and signs and ideograms and stuff http://www.symbols.com/
Dictionaries http://www.ohiolink.edu/db/oed.html | http://www.ohiolink.edu/db/ahd.html | http://www.ohiolink.edu/db/columbia.html | http://www.ohiolink.edu/db/thes.html | http://www.eb.com:180/
Misc reading material http://dali.orgland.ru/tcd/ | http://www.ud.se/english/press/pdf_publ.htm
Dantes Inferno
http://sophia.smith.edu/~lkleinbe/dante/home.html | http://www.divinecomedy.org/
Books and texts http://digital.library.upenn.edu/books/ | http://www.cs.cmu.edu/books.html | http://www.ipl.org/reading/books/ | http://www.nakedword.org/ | http://sunsite.berkeley.edu/alex/
Literature stuff http://lion.chadwyck.co.uk:8080/ | http://www.swan.ac.uk/uwp/lit.htm
Octavo books http://www.octavo.com/
Project Gutenberg - books and texts http://www.promo.net/pg/
Project Runeberg - Scandinavian in books and texts http://www.lysator.liu.se/runeberg/katalog.html
The Elements of Style http://www.bartleby.com/141/index.html
Bigtext - illustrated books and manuals for DOS http://www.ozemail.com.au/~kevsol/oldfav.html#bigtext
Breeze - a complete text system for Windows
http://www.ozemail.com.au/~kevsol/sware.html#brzwin
Language links http://www.june29.com/HLP/
Grimms' fairy tales
http://www.nationalgeographic.com/grimm/archive.html
Winnie the Pooh http://www.machaon.ru/pooh/
Seven Wonders of the World
http://ce.eng.usf.edu/pharos/wonders/
Medieval history http://www.fordham.edu/halsall/sbook2.html
Misc history http://www.usaor.net/users/ipm/contents.html
| http://www.homeusers.prestel.co.uk/littleton/re0_cath.htm
Stonehenges Legends
http://www.missgien.net/stonehenge/legends.html
In Parentheses historical papers http://www.inpar.dhs.org/
Bulfinchs Mythology http://www.bulfinch.org/
The Dead Sea Scrolls
http://lcweb.loc.gov/exhibits/scrolls/toc.html
Qumran historical site http://www.kalia.org.il/Qumran/
Index of cults http://www.totentanz.de/kmedeke/cults.htm
Heretical speculation
http://www.calweb.com/~queribus/gnosticgnus.html
The esoteric Ordo Supremus Militaris Templi Hierosolymitani http://www.osmth.org/index.html
Runes and Norse stuff http://www.multiart.nu/grimner/ | http://www.eastcoastfx.com/~jorn/runes/
Extinction level events
http://members.xoom.com/korwisi/ele/english/index.html | http://impact.arc.nasa.gov/ | http://www.boulder.swri.edu/clark/ncar.html
Stephen Hawkings Universe
http://www.pbs.org/wnet/hawking/html/home.html
The constellations http://www.dibonsmith.com/constel.htm
Falling into a black hole
http://casasrv.colorado.edu/~ajsh/schw.shtml
Gravity is a push http://www.epicom.com/gravitypush/
Online audiobooks http://www.broadcast.com/books/scifi/
ElecBooks http://www.elecbook.com/eblist.htm
NewMedia Classics http://www.newmediaclassics.com/
Online Books Archive http://docs.online.bg/
Internet Public Library http://www.ipl.org/
Rocket-Library.com
http://www.rocket-library.com/categories.asp
PalmPilot E-Text Ring
http://www.webring.org/cgi-bin/webring?ring=pilot_text&id=2&List
Virtual Free Books
http://www.virtualfreesites.com/free.books.am.html
All About Ebooks http://aalbc.com/ebooks/Allaboutebooks.htm

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Natal e prendas subjectivas

Façamos o seguinte: para este Natal (faltam apenas 2 meses) ou numa outra ocasião qualquer: Compremos os presentes a pequenas empresas e pessoas autónomas.

Compremos à nossa vizinha que vende por catálogo ou pela internet, aos artesãos que fazem bijutería, à amiga que tem uma loja no bairro, o pasteleiro que faz os doces artesanais, ao rapaz que tem uma banca no mercado ...

Façamos o dinheiro chegar às pessoas comuns e não somente às grandes multinacionais. Assim haverá mais gente que tenha um melhor Natal.

Por isto também vamos incentivar essas pessoas a divulgarem o que elas fazem e que podemos comprar ou indicar para o Natal.

Se você acha que é uma boa proposta, copie e cole no seu mural. Apoiemos a nossa gente.

domingo, 28 de outubro de 2012

Jogo Pedagógico GEOGRAFIA MUNDIAL

http://rlc.site90.net/geo/info.php

Olá pessoALL vamos brincar um pouco? O Raphael (meu filhão mais novo que mora na Suécia) criou uma diversão para nós. É um jogo de Geografia, interessante para alunos, pais e professores. Partilhem, divulguem e brinquem a vontade e se gostarem do trabalho dele ou do design podem fazer contato com ele pelo email rlc.gbg@gmail.com.
Vamos aproveitar esta 1 hora a mais que teremos amanhã para brincar um pouco...abraceijos
— em http://rlc.site90.net/

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Pronúncias

http://www.oddcast.com/home/demos/tts/tts_example.php

é divertido e nos ajuda a corrigir a pronúncia. É sempre bom treinar ANTES das viagens. abraceijos

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Seja uma pessoa de excelência

Este novo audiolivro de Dale Carnegie revela como atingir êxito pessoal e profissional através de atitudes simples exemplificadas com parábolas e casos de sucesso do mundo da política e dos negócios.

O que faz alguém se destacar a ponto de ser considerada uma pessoa de excelência? Para Dale Carnegie o que pode fazer a diferença entre sucesso e mediocridade é a adoção de novos hábitos interpessoais. 

 Essa e outras conclusões e ensinamentos do renomado especialista em desenvolvimento pessoal, estão no audiolivro “Torne-se Inesquecível: Seja uma Pessoa de Excelência”, mais recente lançamento da Editora Nossa Cultura. A obra segue a filosofia de que a mudança no trato dos outros pode levar ao sucesso pessoal e profissional e a atingir objetivos que antes eram considerados impossíveis. 

 “Torne-se Inesquecível” divide os conceitos desenvolvidos por Dale Carnegie ao longo de décadas de estudo do comportamento humano em passos simples de serem seguidos e compreendidos. Como a necessidade de assumir responsabilidade por seus atos, a diferença entre grandeza e grandiosidade, como ser generoso além de sua zona de conforto ou como não criticar, condenar e reclamar. 

A obra apresenta conceitos como os seis passos para administrar problemas de comunicação, os quatro empecilhos para o comportamento ético e as cinco habilidades sociais essenciais para se tornar uma pessoa de excelência, entre outros. Tais conceitos, todos organizados ao longo de 12 sessões didáticas, são ilustrados por parábolas que revelam como eles podem ser aplicados no cotidiano por qualquer pessoa. “Torne-se Inesquecível” também aborda casos notáveis de sucesso como o do ex-presidente dos EUA, John F. Kennedy, e amplia os conhecimentos estabelecidos por Dale Carnegie, colocando-os à luz de exemplos contemporâneos, como a Microsoft e Apple. 

 “Torne-se Inesquecível Seja Uma Pessoa de Excelência”, um dos cinco audiolivros de Dale Carnegie lançados pela Editora Nossa Cultura, ainda mostra como se destacar naturalmente da multidão em um mundo cada vez mais competitivo. 

Com ele você aprenderá também a elevar a sua própria autoconfiança, enfrentar seus medos de frente e fortalecer a sua capacidade de se recuperar de adversidades para se tornar uma pessoa de excelência. 

terça-feira, 16 de outubro de 2012


Olá, apesar de ausente de Portugal, enviam-me com frequência notícias sobre a realidade europeia e, ontem eu estive diante de uma cena humana e senti necessidade de fotografar o exemplo bonito de superação.
Esta cena aconteceu na calçada da

Rua do Catete (Largo do Machado). eu estava a caminhar para o metrô e de repente um senhor perguntou-me: ""Não acha minha senhora?, eu sorri e disse "a respeito de que?" e, ao parar diante desse senhor, vi que ele estava a ter um diálogo reflexivo (e por isto queria me ouvir) com um senhor, cuja profissão é engraxar sapatos de todos os tipos.
Observem no senhor sentado no chão. o que ele tem de diferente de nós?
Ele não tem pernas e coxas. ele senta-se e fica exposto apenas uns 5centímetros de coxa e, trabalha com mais empenho do que muita gente com pernas completas.
ele é muito falante, eu também me envolvi na conversa dele. foi agradável!
Fiquei com mais uma lição de superação.
Partilhem. Há muito quem precisa desta lição!!!
Europeus ou não precisamos saber superar as dificuldades!
Cri$e financeira ou cultural, política, relacional e também as interiores, precisam ser superadas por nós!
Cada um do seu jeito, no seu ritmo, porém sempre pensando na superação.
abraceijos,angela

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Férias da minha vida

“As férias da minha vida” (Last Holiday). É uma comédia, mas muito interessante, pois retrata a vida de muitos de nós.
Georgia é a personagem principal, uma mulher talentosa, porém com autoconfiança baixa que apenas deseja agradar aos outros, se esquecendo de si e permitindo que sua vida continue sem graça.
Ela possui um livro que chama de Livro das Possibilidades, onde estão lugares e pessoas que gostaria de conhecer, as comidas que fez (ela é uma excelente cozinheira) e que não comeu, pois vive de dieta; o homem que gostaria de se casar, mas não tem coragem de se revelar.
Até que um dia, ela recebe a notícia de que morrerá em 4 semanas e o que ela faz?
Resolve transformar todas as possibilidades em realidades para que então, possa morrer feliz. Bem, daí em diante, eu não contarei, afinal não teria graça…
Abraceijos,


terça-feira, 9 de outubro de 2012

Linkedin

É uma ferramenta gratuita e que pode, em muitos casos, trazer excelentes resultados profissionais.
Se desejar fazer melhor uso, pode assistir este vídeo. Sucesso profissional!!!

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

"Podemos dizer a mesma coisa de formas diferentes."

"Podemos dizer a mesma coisa de formas diferentes."
Tamerlão, o Coxo, poderoso rei assírio do século XIII, era um soberano muito cheio de si e consciente das deferências de que se julgava credor por parte de todos os súditos. Ele tinha uma particularidade física notável: um grande e monstruoso nariz, o que muito o aborrecia. Por isso, jamais tinha se deixado retratar.

Quando, porém, já idoso, seu filho e sucessor, preocupado com a possível ausência do retrato do pai na galeria real, tanto insistiu que conseguiu dele a anuência para retratá-lo.

O monarca estabeleceu uma condição: só aceitaria o retrato, como sua estampa oficial, se encontrasse um artista que o pintasse a contento. E os artistas que tripudiassem sua imagem, seriam executados, conforme a tradição do Reino, na forca.

Aceita a condição, mensagens foram espalhadas por todo o Reino, convocando os artistas para a importante e perigosa tarefa. Não obstante os riscos, três se apresentaram, para tentar o que seria a suprema obra de sua vida e ganhar assim fama, reconhecimento e muitas moedas de ouro. Justamente os três melhores mestres da arte pictórica do Reino se apresentaram para o comedido.

O primeiro retratou o monarca tal e qual, com o narigão enorme e tudo. O rei, vendo o quadro acabado, embora admirando o gênio artístico, enfureceu-se com a figura horrenda e mandou enforcar o infeliz artista.

A franqueza rude, contundente, que não hesita em expor toda a realidade dos fatos, doa a quem doer, acabou condenando o primeiro artista. Pessoas com essa atitude podem revelar o mérito da coragem e do desinteresse, mas tiram nota zero em relações humanas.

Veio o segundo e, temeroso, pintou o rei fielmente, com exceção do aberrante apêndice nasal, em cujo lugar colocou irrepreensível narizinho. O soberano, sentindo-se ridicularizado, assinou igualmente a pena capital do segundo, sem comiseração.

Isso se chama "hipocrisia interesseira" e pode revelar inteligência e engenhosidade para distorcer os fatos, a fim de agradar aqueles a quem desejam conquistar.

Chegou a vez do terceiro artista, o qual habilidoso, conhecendo a paixão do rei pela caça, retratou-o a segurar um arco e a atirar numa raposa. E o antebraço na arma tapava-lhe justamente o nariz. Vendo o resultado do trabalho, o monarca sorriu satisfeito e recompensou-o generosamente.

Esta é a essência da verdade construtiva, evidenciando o que é útil, edificante e elegante, e, omitindo sutilmente os aspectos menos agradáveis da vida do próximo.


Códigos da Vida
Legrand
Editora Soler

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Perda

(....) porque a vida é agora.
Não tenha medo do futuro.
Apenas se esforce ao máaximo para que o seu futuro seja muito parecido com o que voce desejou.
A morte não é a maior perda da vida.
A maior perda da vida é o que morre dentro de nós enquanto vivemos.
Dalai Lama

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

I ENCONTRO SOBRE BOAS PRÁTICAS NA ÁREA DA SAÚDE MENTAL - 19 DE OUTUBRO - AUDITÓRIO ENG.º EURICO DE MELO - SANTO TIRSO

I ENCONTRO SOBRE BOAS PRÁTICAS NA ÁREA DA SAÚDE MENTAL - 19 DE OUTUBRO - AUDITÓRIO ENG.º EURICO DE MELO - SANTO TIRSO

deixei de colocar esta informação importante que:

As inscrições em grupo beneficiam de desconto a partir de 3 pessoas, ficando por 25 euros/ cada e as inscrições para estudantes e associados da ASAS ficam por 20 euros/ cada.

domingo, 30 de setembro de 2012

Bioviolência – Barry Kellman

Infligir doenças de maneira hostil. Este é o significado da palavra bioviolência, tema central deste lançamento do selo Idéias & Letras.
Na obra, o autor Barry Kellman fala da ameaça que a prática representa ao Planeta, além de relatar esquemas de organização dos bioagressores para a disseminação da bioviolência.
Como forma de conter o problema, Kellman propõe uma cooperação entre organizações de âmbito nacional e internacional, visando a elaboração de uma estratégia que promova a biociência, alertando também para seus perigos.

sábado, 29 de setembro de 2012

Escolhas

É a mente, somente a mente, e somente a nossa mente, que nos faz sábio ou ignorante, negativo ou positivo, tristonho ou colorido, escravo ou livre, determinado ou indeciso... é tudo uma questão de escolha. Nascemos com o livre arbítrio, usemos esse direito para fazer as nossas escolhas...ao escolher, que façamos as escolhas mais benéficas para nós a cada momento. Muita paz interior também é uma escolha. abraceijos

A escolha e a função da mente

É a mente, somente a mente, e somente a nossa mente, que nos faz sábio ou ignorante, negativo ou positivo, tristonho ou colorido, escravo ou livre, determinado ou indeciso... é tudo uma questão de escolha. Nascemos com o livre arbítrio, usemos esse direito para fazer as nossas escolhas...ao escolher, que façamos as escolhas mais benéficas para nós a cada momento. Muita paz interior também é uma escolha. abraceijos

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

O Poder das Palavras

Um orador fala do poder do pensamento positivo e das palavras.

Um participante levanta a mo e diz:

"No porque eu vou dizer felicidade, felicidade, felicidade! que me irei sentir melhor e no porque eu vou dizer desgraa, desgraa, desgraa! que me irei sentir menos bem: no so mais que palavras. As palavras so isso mesmo, sem poder..."

O orador responde:

"Cale-se, seu idiota, incapaz de compreender o que quer que seja!"

O participante est paralisado, ele muda de cor e prepara-se para replicar agressivamente: "Voc, espcie de..."

O orador levanta a mo: "Peo que me desculpe. Eu no quero magoar. Peo que aceite as minhas sinceras desculpas."

O participante acalma-se.

Os outros participantes murmuram e h agitao na sala.

O orador intervm:

"Tm a resposta questo que puseram: algumas palavras desencadeiam dentro de voces raiva e clera. Outras acalmam. Compreendem melhor o poder das palavras?"

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Ilha artificial Galatasaray

Sem críticas, apenas uma constatação: "Uns com tanto e outros com tão pouco".
Nesta viagem a Istambul vi esta grande diferença entre poderes. ou será que não são poderes...

Esta é a ilha do Galatasary, é artificial e fica a uns 100 metros da beira mar, no Bósforo, um pouco depois da primeira ponte sobre o Bósforo. A entrada não é barata, especialmente para quem não for com alguém que seja sócio do clube de futebol.
O local é super agradável, o ambiente é muito suave, a água salgada é óptima. Enquanto se está estendido na toalha (facultada à entrada) pode-se deliciar com uns aperitivos. Para além do complexo da piscina, também há restaurante, é um local muito afamado pela sua noite porque é explorado pela empresa que gere o Reina a maior discoteca de Istambul.


sábado, 15 de setembro de 2012

Ser melhor...

“Não queira ser melhor que os outros. Torne-se melhor para os outros!” ~Hermógenes

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Livro: Lembra de Mim?

Livro: Lembra de Mim?
Autora: Sophie Kinsella
Sinopse:
Lexi desperta em um leito de hospital após um acidente de carro, pensando que está em 2004, que tem 25 anos, uma aparência desleixada e um namoro desastroso. Mas, para sua surpresa, ela descobre que está em 2007, tem 28 anos, é chefe de seu departamento e sua aparência está impecável. E ainda é casada com um lindo milionário! Ela não pode acreditar na sorte que teve. Mas conforme ela descobre mais sobre a nova Lexi, nota problemas graves em sua vida perfeita. E, para completar, uma revelação bombástica pode ser sua única esperança de recuperar a memória.

sábado, 8 de setembro de 2012

I ENCONTRO SOBRE BOAS PRÁTICAS NA ÁREA DA SAÚDE MENTAL - 19 DE OUTUBRO

I ENCONTRO SOBRE BOAS PRÁTICAS NA ÁREA DA SAÚDE MENTAL
19 DE OUTUBRO
AUDITÓRIO ENG.º EURICO DE MELO - SANTO TIRSO
INICIATIVA: ASAS

Leia mais em http://www.jasfarma.pt/noticia.php?id=6854 

Paula Reis
Coordenadora Técnica GAS* e DF**
*GAS - Gabinete de Ação Social/ **DF - Departamento de Formação

Associação de Solidariedade e Ação Social de Santo Tirso
Rua Dr. Carneiro Pacheco, 458
4780-446 Santo Tirso
Telefone: 252830830
Fax: 252830839
Endereço Electrónico Geral: asas@asassts.com
Web Site: http://www.asassts.com/

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Concentração - Mouni Sadhu

Guia prático para conseguir paz interior, saúde perfeita e sucesso na vida através do poder mental

A origem latina do vocábulo "concentração" tem sentido claro e definido. Refere-se a coisas que têm um centro comum ou que são deslocadas para um centro. Essa idéia pode ser expressa pela palavra "convergência", que, etimologicamente, não se distancia do sentido literal do vocábulo. Tentarei mostrar, de modo prático, como a mente humana pode se concentrar para ter a capacidade de convergir. As explicações psicológicas e técnicas necessárias serão reduzidas ao mínimo, apenas o essencial para capacitar o estudante a iniciar seus exercícios com a compreensão clara do que está fazendo. As questões inevitáveis e bastante justificáveis que ele colocará são: "Por que, quando e como se deve estudar concentração?" e "O que alcançaremos se formos bem-sucedidos nesse estudo?" Suponhamos que temos um lápis sem ponta ou um pauzinho. Se precisarmos usar um deles para furar um pedaço de papelão, encontraremos dificuldade, a menos que os apontemos. Ainda que a pressão seja considerável, o lápis sem ponta não produzirá um orifício perfeito. Por quê? Porque está em ação uma lei física simples. A maior parte da força será dissipada e o instrumento rombudo não removerá as partículas do papelão. Analogamente, uma faca cega não pode cortar bem, visto que a força que se aplicar a ela, para tal fim, será dispersada numa área maior e em muitos pontos, em vez de ser concentrada. Mas, se os instrumentos estiverem apontados, não haverá dificuldade em fazer o furo ou um corte em linha reta. Se há um segredo nisso, onde está? Simplesmente no fato de que a força aplicada sobre um único ponto é mais eficiente e parece muito maior do que aquela que é aplicada simultaneamente em muitos pontos. Essa lei elementar deve ser clara e firmemente fixada na mente daquele que escada concentração, pois é a razão de todos os exercícios da terceira parte deste livro.

Este livro foi escrito para servir de ponte entre as numerosas obras sobre concentração mental e
meditação e a aplicação geral dos poderes da mente na vida cotidiana.
A vasta literatura referente a esses assuntos estabelece numerosos "mandamentos", que dispõem sobre o que se deve fazer, ou não, e quando, para desenvolver o controle da mente. Mas não é fácil encontrar o conselho essencial ou as respostas práticas às inevitáveis perguntas "como?" e "por quê?"(...)

(...)Na segunda metade deste século,  houve grande progresso na psicologia em geral, bem como na
psicologia oculta, e já sabemos mais sobre a mente humana e suas funções do que nossos antepassados.
Hoje alguns pormenores dos métodos que tratam da principal força motriz do homem — sua mente — podem ser alterados, mas o ponto de apoio deste estudo permanece inalterado.
Nesta obra o autor tentou compilar, imparcialmente, os melhores e mais experimentados métodos e
exercícios, com todas as explicações necessárias, que mais tarde poderão dar ao estudante uma base paraas suas próprias deliberações, ao revelar-lhe, antecipadamente, horizontes novos. Esperamos que os exercícios da terceira parte deste estudo sirvam particularmente a esse fim.

(...)A princípio, nenhum credo particular é exigido de ambos os tipos de estudante. A principal condição para o sucesso é a capacidade de raciocinar perfeitamente. Essa faculdade se transformará num poder superior de cognição pelo emprego, como base, de seu aguçado instrumento — a mente bem controlada —, que então começará a refletir a realidade da essência fundamental do homem, o espírito imortal e ilimitado.
Este livro não está limitado a nenhum sistema particular de filosofia. Suas técnicas e seu material foram extraídos livremente, de acordo com o valor, tanto do patrimônio do Oriente como do Ocidente.

terça-feira, 4 de setembro de 2012

As cinco habilidades essenciais do relacionamento

Livro: As cinco habilidades essenciais do relacionamento
Dale Carnegie Trainning 
Como se Expressar, Ouvir os Outros e Resolver Conflitos

 
Ouvir é uma arte, uma habilidade e uma disciplina e, tal como outras habilidades, exige autocontrole. Como líder, você precisa entender o que está envolvido no ato de ouvir e deve desenvolver as técnicas necessárias para ficar em silêncio e dar atenção àquilo que estiver ouvindo. Você precisa aprender a ignorar suas necessidades e concentrar a atenção na pessoa que está falando. Escutar se transforma em ouvir apenas quando você dá atenção e acompanha de perto aquilo que está sendo dito.
Não há dúvida de que ouvir é uma habilidade interpessoal imprescindível. Pesquisas mostram que a maioria das pessoas passa 70% do tempo de vigília interagindo com outros seres humanos de alguma maneira e que 45% desse tempo é gasto ouvindo. Como acontece com qualquer atividade à qual você dedica grande parte do seu dia, é melhor ser bom nisso. Ouvir com assertividade é ser bom em ouvir, e o primeiro passo nessa direção é entender o que realmente acontece durante uma interação conversacional humana.
 
OBEDEÇA ÀS REGRAS DA CONVERSAÇÃO
 
As analogias nunca são perfeitas, mas há uma que chega extremamente próximo da explicação precisa e exata do que acontece quando as pessoas falam e ouvem. É uma analogia entre a comunicação humana e o ato de dirigir um carro no trânsito. No trânsito, quase com certeza, você não conhece a maioria das pessoas dentro dos carros a seu redor, mas quando os carros chegam juntos a um semáforo vermelho, entende-se que todos vão parar. De acordo com as leis de trânsito norte-americanas, o carro na faixa da direita tem o direito de passagem e a maioria das pessoas respeita isso. Elas permitem que o carro na faixa da direita siga primeiro rumo ao cruzamento. Às vezes, as pessoas fazem um aceno para que o outro motorista vá um pouco para a frente e, em resposta, normalmente o outro motorista faz um pequeno gesto de agradecimento. É assim que funciona e, assim que as pessoas adquirem um pouco mais de experiência no trânsito, entendem os diversos protocolos e os obedecem.
Naturalmente, existem exceções. Algumas pessoas correm. Outras dirigem muito devagar. Nos semáforos, alguns não concedem o direito de passagem ao carro da direita e outros seguem pelo cruzamento sem parar. Esse é um comportamento extremamente irresponsável e perigoso, e há As cinco habilidades essenciais do relacionamento penalidades para isso. Há multas de trânsito e suspensão da carteira de habilitação, sem mencionar a possibilidade da ocorrência de acidentes que coloquem a vida em risco.
Uma conversa funciona basicamente do mesmo modo, embora os sinais de parada e os semáforos sejam um pouco mais sutis. Talvez você não conheça a pessoa com quem está falando, mas a experiência já o ensinou que há momentos em que é sua vez de ouvir e outros em que é sua vez de falar. Não há sinais físicos de parada para indicar esses momentos, mas você aprendeu a percebê-los e respeitá-los. Assim como certas intersecções podem ser complexas e congestionadas, conversas envolvendo várias pessoas podem exigir mais consciência da parte de todos. Ainda que haja quatro ou cinco pessoas falando, as coisas podem transcorrer tranquilamente se todos obedecerem as regras.
Mais uma vez, porém, existe o problema das pessoas que não obedecem às regras. Existem corredores de conversação, pessoas "elétricas" cujo ritmo é sempre rápido. Há pessoas que falam tão devagar e suavemente que ouvi-Ias é como seguir atrás de um fazendeiro idoso dirigindo um caminhão velho e lento numa estrada vicinal de mão dupla. Também existem aqueles conversadores realmente perigosos, os quais parecem determinados a causar acidentes com a sua rudeza e insensibilidade. A coisa infeliz em relação a esses que desrespeitam a lei é que não existem policiais rodoviários para tirá-los da estrada e eles tiram vantagem desse fato. Uma vez que não existe algo como uma força policial do "tráfego" verbal, eles se permitem fazer qualquer coisa.
À direção do seu carro, você pode querer dirigir o mais rápido possível dentro dos limites de segurança para chegar ao seu destino mais cedo. Você não corre demais, talvez ande 5 ou 10 quilômetros acima do limite de velocidade da via. Mas e quando você participa de uma conversa? Você anda a 80 quilômetros numa área cujo limite é 60? Você para mesmo diante da placa de pare ou simplesmente diminui a velocidade e entra devagar?  Assim como você, talvez, ande um pouco acima do limite de velocidade, também existe grande possibilidade de que concentre-se mais em falar do que em ouvir. Com o propósito de tornar-se um ouvinte assertivo, você precisa primeiramente se conscientizar dessa tendência para mudá-la.
 
OUVIR COM EMPATIA
 
Todos nós queremos falar, e todos queremos ser ouvidos. Contudo, você realmente sabe o que significa ouvir de verdade? É mais do que simplesmente escutar palavras. É entender a mensagem das outras pessoas, assim como seu contexto e sentimentos. Esse é o significado de empatia, um elemento básico do ato de ouvir com assertividade. Empatia significa entender a outra pessoa bem a ponto de, pelo menos naquele momento, experimentar os sentimentos dela. É ouvir intensamente e identificar-se de modo a vivenciar a situação, os pensamentos e as emoções da outra pessoa. Bons amigos fazem isso; o mesmo acontece com os bons médicos e os bons líderes.
Ouvir com assertividade e empatia demonstra que você se importa e que entende a outra pessoa. Quando sentir isso da sua parte, a pessoa naturalmente se sentirá mais confortável e confiante em sua comunicação com você. Ela confiará em você e se abrirá mais. Se sentir que você não a compreendeu, vai se sentir à vontade para corrigir a impressão errada que você teve. Como resultado, você terá uma percepção mais clara e mais precisa do que realmente está sendo dito.
Em resumo, ouvir de maneira assertiva faz com que você aprenda mais sobre os integrantes de sua equipe. Deixa para trás a superficialidade da conversa e evoca o que realmente está na cabeça das pessoas. Como um ouvinte assertivo, você é capaz de levar a conversa a tópicos importantes sem precisar fazê-lo de maneira formal. Uma vez que sabe que é seguro conversar sobre esses assuntos, a pessoa é capaz de expressar sentimentos reais. Isso é não apenas uma boa prática empresarial de sua parte, mas também um comportamento genuinamente atencioso.  No início, ouvir com assertividade pode exigir alguma atenção e esforço concentrados, mas você perceberá rapidamente que isso facilita as conversas de negócios. Pode reduzir a impaciência que é tão frequente nas interações de trabalho. Também pode eliminar pressuposições negativas errôneas, uma vez que você terá desenvolvido uma maior compreensão de como a pessoa envolvida na conversa realmente é. Ouvir com assertividade é uma das mais importantes habilidades interpessoais que você pode desenvolver. É impressionante perceber quão poucas pessoas fazem isso com qualidade.
 
BARREIRAS CONVERSACIONAIS A SEREM EVITADAS
 
Ouvir com assertividade, como já discutimos, baseia--se em realmente querer conhecer a outra pessoa. Também depende de se evitar algumas barreiras conversacionais bastante comuns. Vamos analisar algumas delas.
 Em primeiro lugar, evite comparar-se o tempo todo com aquele que está falando. A maioria das pessoas não diz isso, mas quando outra pessoa está falando, a mente do ouvinte se enche de pensamentos como "Será que sou mais esperto do que ela?", "Tive uma vida mais difícil do que a dela?" ou, especialmente, "Mal posso esperar que ela pare de falar para contar uma história da minha vida - que, a propósito, é muito mais interessante do que isso que estou ouvindo".
Essa última tendência é bastante significativa. Assim que perceber sua existência, você se surpreenderá com a frequência com que ela aparece tanto em seus próprios pensamentos como nas conversas das quais participa. Zig Ziglar chama isso de "brincar de sobrepor". É o impulso de colocar imediatamente algo por cima da história da outra pessoa. Alguém diz "Meu avião ficou retido em Chicago por 2 horas" e você imediatamente dispara: "Fiquei preso em Denver por 3 horas". Ele diz "Quebrei o braço" e você pensa "Quebrei uma perna" Ela diz "Pesquei um peixe grande" e você, no mesmo instante, começa a varrer a mente em busca do maior peixe que seu cunhado pescou, contanto que tenha sido realmente grande. Isso é brincar de sobrepor. É tão comum que você reconhecerá prontamente e, sem dúvida, perceberá por que é um inimigo mortal do ato de ouvir com assertividade.
 
EVITE A LEITURA DA MENTE
 
Uma segunda barreira envolve a tentativa de ler a mente da pessoa que está falando em vez de ouvir o que ela está tentando dizer. Se alguém diz "Realmente gosto de trabalhar aqui", você interpreta isso como significando "Ele não gosta de trabalhar aqui, mas diz isso porque tem medo de perder o emprego". Isso é leitura de mente, não audição. Mais uma vez, é concentrar-se em seus próprios poderes de interpretação em vez de ouvir o que a pessoa está dizendo e, pelo menos naquele momento, dar a ela o benefício da dúvida.
O terceiro obstáculo ao ouvir de maneira assertiva é chamado de filtragem. Basicamente, significa levantar as orelhas quando você ouve algo que o interessa ou com o que concorda e não prestar atenção ao restante. Uma parte significativa de toda conversa, seja profissional ou pessoal, tem a ver com o estabelecimento de um senso de cumplicidade ou de compartilhamento de interesses com a outra pessoa. Se esse senso de interesse compartilhado ou de concordância não surgir, aparece a tendência de desprezar o que a outra pessoa está dizendo. Além disso, se o orador indica que se interessa por alguma coisa na qual você não tem o mínimo interesse, é possível que você opte por ignorá-lo por completo. Se alguém lhe diz que assiste corridas de automóveis todo final de semana e que tem um cachorro da raça pit bull, você passa a desprezar as ideias que a pessoa apresenta, simplesmente porque não é fã de corridas e prefere gatos a cachorros. Aquela pessoa pode ter excelentes ideias sobre estratégia de marketing, mas você nunca as conhecerá.
Existem muitas e muitas outras barreiras além dessas três. Muitas pessoas são críticas: decidem que uma declaração é "louca", "enfadonha", "imatura" ou "hostil" antes mesmo de ela ser finalizada. Outras assumem uma abordagem terapêutica da conversa, prescrevendo silenciosamente receitas e conselhos durante todo o diálogo. Talvez você encare toda conversa como um embate intelectual, cujo objetivo é derrotar o oponente. Talvez você esteja convencido de que está sempre certo em relação às questões comerciais e, portanto, para que ouvir? Se você tem medo de ter uma conversa séria, talvez faça brincadeiras o tempo todo, com o pretenso objetivo de manter o clima leve. Por essa mesma razão, com o propósito de permanecer seguro em sua zona de conforto, você pode simplesmente continuar concordando com a pessoa.
Há grande chance de você lembrar-se de ter praticado pelo menos algumas dessas objeções ao ato de ouvir assertivamente. Isso é bom. Não há como mudar um comportamento se você não sabe que ele existe.
Em virtude dessas e de outras barreiras inerentes à maioria das interações, 20 minutos após a ocorrência de uma conversa as pessoas normalmente se lembram de apenas 65% do que ouviram. Ouvir de maneira assertiva não é fácil. Não é nem mesmo natural, uma vez que as objeções que acabamos de analisar são expressões naturais da psicologia interpessoal. Nossa concentração dura apenas um curto período de tempo, logo nos distraímos. Isso acontece com qualquer pessoa, mas aqueles que ouvem com assertividade se esforçam para voltar aos trilhos. Fazem perguntas de esclarecimento e reafirmam ao orador que a mensagem está sendo ouvida e entendida. Acima de tudo, os que ouvem com assertividade se afastam de preconceitos e propensões, de opiniões de pessoas que não têm a mente aberta e de defesas interiores que nos impedem de ouvir o que realmente é dito. Para evitar que isso aconteça, lembre-se do que Mark Twain escreveu: "Se fôssemos feitos mais para falar do que para ouvir, teríamos duas bocas e uma orelha".
 
REAÇÕES RUINS AO QUE É DITO
 
À medida que ouve, você também deve reagir. Por quê? Para que possa ouvir um pouco mais! Naturalmente, até mesmo os maus ouvintes reagem de uma maneira ou de outra, mas existe um amplo espectro de reações, o qual se estende da mais completa hostilidade até a empatia total. Neste momento, vamos olhar rapidamente para esse espectro, de cima a baixo, da indiferença insensível ao ato genuíno de ouvir com assertividade.
Na parte inferior da escala da audição, encontramos pessoas que não apenas gostariam que o assunto mudasse como simplesmente se intrometem e o mudam. Alguém diz: ''Acho que deveríamos ter menos reuniões às sextas-feiras" e o ouvinte diz "Quanto foi o jogo de ontem?”“. 
Um passo acima dessa postura é "eu entendo mais". O orador fala "Meu computador pifou" e você diz "Duvido. Vou dar uma olhada nele quando tiver tempo". É comum o ouvinte adicionar (ou pelo menos pensar) algo mais, como "Você deveria ler o manual de instruções" ou "Posso ver que você não sabe muito sobre tecnologia". Uma extensão disso é a reação crítica. “Para uma pessoa que diz que comeu demais no almoço, você responde ‘‘A obesidade é uma desgraça nacional e está aumentando o custo dos planos de saúde”. Esse é um exemplo extremo, naturalmente, mas o impulso de julgar é muito forte em muitos de nós. Ouvir com assertividade exige que tiremos a toga judicial, pelo menos durante a conversa.
A seguir, ternos a reação de aconselhamento, que é uma forma menos moralista de julgamento.
Um colega seu diz que está com medo de pedir aumento. Em vez de responder com aquilo que ele quer que você diga (que ele está com medo), você lhe diz o que escrever no memorando a mandar para o chefe. Ou, na mesma linha de ação, você pode desprezar o que ele está sentindo sob a justificativa de restabelecer-lhe a confiança. Você poderia dizer algo assim: "Ah, todo mundo fica nervoso na hora de pedir aumento. Não fique assim". Em outras palavras, não quero ouvir mais nada.
Mais uma vez, a maioria de nós é culpada por, pelo menos, uma dessas reações não empáticas. Se isso aconteceu apenas algumas poucas ocasiões, não há problema, mas habilidades de audição ruins parecem ser formadoras de hábitos. Passamos a ser os conselheiros ou as pessoas que sempre mudam o assunto. Naturalmente, a melhor maneira de pôr fim a um hábito ruim não é suprimi-lo, mas substituí-lo por um hábito bom. Vamos ver como caminhar para cima na escala de reações ao que se ouve, na direção deopções positivas e assertivas.
 
OPÇÕES POSITIVAS E ASSERTIVAS AO QUE SE OUVE
 
A primeira dessas opções é corrigir qualquer compreensão presumida de algum dos pensamentos, sentimentos ou contexto da outra pessoa. Você ouve um pouco do que está sendo dito ou deixado implícito, mas não tudo. Por sua vez, você formula algumas conclusões na sua cabeça. Se a pessoa que falou perceber, isso pode desencorajá-la a continuar falando. Uma vez que essa compreensão limitada costuma ser um processo inconsciente do ouvinte, é importante treinar para solicitar esclarecimento e reelaboração, ainda que você não ache que isso seja realmente necessário. Não presuma que você ouviu tudo o que precisa saber. Presuma o oposto.  Acima desse nível de reação, começamos a nos aproximar do verdadeiro ato de ouvir de maneira assertiva. Agora você reage com empatia genuína. Você realmente se coloca na posição da outra pessoa. Seus comentários refletem o que o orador diz. Enquanto você ouve, seus comentários são breves e precisos. Você parafraseia e reflete sobre o que ouviu, mas o faz com suas próprias palavras e de uma maneira que demonstra respeito e naturalidade. Como resultado, o orador sabe que você está ouvindo com atenção e que se importa com o que ele diz. O que dizemos é um reflexo de nossas habilidades de ouvir.
Tudo isso exige um pouco de habilidade e técnica de verdade. É melhor, por exemplo, praticar antes de fazer seus comentários porque perguntas empáticas são, na verdade, declarações. Quando você pergunta "Você está desanimado?" está realmente dizendo "Posso ver que você está triste por causa de alguma coisa". Mesmo quando erra um pouco o alvo, uma abordagem exploratória dá ao orador uma chance de acabar com os mal-entendidos e fazer com que vocês entrem em sintonia. Por essa razão, é importante fazer comentários frequentes que reflitam sua compreensão do que acabou de ser dito. Se o orador não recebe nenhum comentário seu por 2 ou 3 minutos, pode concluir que você perdeu o interesse, que desaprova o que está ouvindo ou que não entendeu o que foi dito.
 
FORNEÇA FEEDBACK CONSTRUTIVO
 
Conforme fica mais experiente e conhece mais sobre ouvir com assertividade, você alcançará um nível totalmente novo de reações. Nesse ponto, uma coisa realmente maravilhosa vai acontecer: você conseguirá entender o que a pessoa está pensando ou sentindo, às vezes antes que ela própria saiba disso. Na verdade, você pode ajudá-la a alcançar esse nível de insight fazendo perguntas. Na maioria das vezes, ela apreciará o seu feedback e aceitará sua apreciação e análise. Como ouvinte assertivo, você saberá exatamente qual o momento de apresentar suas ideias dessa maneira. Não é algo que você desejará fazer de maneira apressada. Se apresentar uma interpretação cedo demais, ela poderá parecer muito pessoal, crítica ou prematura. Assim, mais uma vez, é mais sábio agir por meio da abordagem exploratória.
Frases como “Estou pensando se”..:' ou “Está me parecendo que”..:' podem ser muito úteis.
Os ouvintes genuinamente assertivos costumam compartilhar ideias que são não apenas úteis como também são capazes de transformar a vida positivamente. Dale Carnegie certamente foi um ouvinte assim, e as ferramentas e técnicas que ele dominava foram disponibilizadas para o mundo por meio de seus livros e programas de treinamento. Você pode achar que nunca conseguirá alcançar esse nível de habilidades pessoais, mas não se preocupe. Nada que Dale Carnegie realizou está fora do seu alcance, e isso é especialmente verdadeiro no que diz respeito a ouvir e se comunicar de maneira assertiva. 230 As cinco habilidades essenciais do relacionamento
 
TÉCNICAS ADICIONAIS SOBRE COMO OUVIR
 
Para completar este capítulo, vamos resumir alguns pontos centrais relacionados a este tópico. São técnicas básicas sobre como ouvir que você pode usar para melhorar suas habilidades de comunicação assertiva.
Lembre-se, por exemplo, de que parafrasear é uma boa maneira de mostrar a quem fala que você ouviu. Normalmente, isso estimula uma melhor compreensão de sua parte, ao mesmo tempo que mostra ao orador que você valoriza o que ele diz. Quando houver uma pausa na conversa, declare brevemente o que ouviu, reformulando o que foi dito em suas próprias palavras. Então, pergunte se está correto.
Faça perguntas e peça esclarecimentos sobre o que não entendeu bem. Pedir às pessoas para explicar o que sentem ajuda a fazer com que elas se sintam mais propensas a ajudar e pode conduzi-las a ideias mais profundas. Certifique-se de que você entende o que é falado antes de reagir ao que foi dito. Lembre-se de que tanto você quanto o orador provavelmente não têm consciência do processo de filtragem subjetiva que acontece em sua conversa, de modo que você não deve deixar de pedir esclarecimentos, mesmo quando achar que não precisa deles.
Enquanto ouve de maneira assertiva, você também deve ser assertivo quanto a dar feedback. Dar feedback é, simplesmente, dizer ao orador qual foi sua reação àquilo que acabou de ouvir. Deixe claro que seu feedback está baseado no seu entendimento do que foi dito. Se o feedback for negativo em algum aspecto, não deixe de adicionar que seu entendimento pode precisar de ajustes. Em qualquer conversa de negócios, tenha sempre em mente as três regras do feedback: ele deve ser imediato, deve ser honesto e, embora possa ser negativo em seu conteúdo, deve ser sempre emocionalmente favorável, nunca maldoso ou agressivo.
Tenha cuidado com a linguagem corporal. Cerca de 90% da comunicação interpessoal é visual. Você está recebendo não apenas palavras, mas também informações por meio da postura e do que é chamado de distância social (quão fisicamente próxima está a outra pessoa e se ela está olhando para você ou desviando o olhar). Na maior parte das vezes, a linguagem corporal prevalece sobre as palavras. Posicione-se de maneira que sugira empatia, abertura e atenção. Movimente ocasionalmente a cabeça em sinal de concordância, à medida que escuta, e mantenha um contato visual apropriado, demonstrando interesse. Para algumas pessoas, o movimento de cabeça e o contato visual do ouvinte são indícios de que elas estão sendo ouvidas. Outros acham que a linguagem corporal é uma distração e preferem que o ouvinte permaneça parado e atento. Use seu próprio julgamento. Espelhar o orador é uma maneira de fazer com que a pessoa que fala se sinta confortável. Se você sentir que há discrepância entre o que é dito de maneira explícita e o que você vê, peça esclarecimentos.
Saiba que interrupções, conselhos ou críticas são barreiras a ouvir com assertividade. Num contexto de amizade ou de conversa pessoal, contar uma história similar àquela que você ouviu é aceitável. Numa reunião de trabalho, porém, pode ser uma distração e normalmente se afigura como um exemplo de "querer aparecer". Se você se pegar dizendo "Isso me lembra algo que aconteceu ...", resista à tentação de seguir adiante.
 
SINCERIDADE É FUNDAMENTAL
 
Seja qual for a situação, a sinceridade é o elemento mais importante de qualquer comunicação humana, seja para quem fala seja para quem ouve. A maioria das pessoas é capaz de aceitar uma ampla gama de estilos num ouvinte, contanto que sua atenção esteja presente e direcionada a ele. Para ser um ouvinte assertivo, você deve aprender a aceitar a experiência de qualquer pessoa, independentemente de suas crenças ou convicções. Isso não significa que você precisa concordar com todo mundo. Significa que você ouvirá e aceitará as impressões da pessoa, deixando de lado suas próprias reações pessoais e voltando a atenção para aquilo que lhe é dito. Essa é uma habilidade interpessoal importantíssima para todos os líderes.
Em algum ponto da conversa, tão logo um relacionamento de confiança esteja estabelecido, você pode revelar que sua própria experiência ou a de outros o levou a uma conclusão diferente. Ao mesmo tempo, porém, é importante enfatizar que você está ouvindo a experiência do orador e aceita as convicções intrínsecas a ela. Não se sinta na obrigação de expor sua convicção detalhadamente. Ainda que lhe seja pedido para fazer isso, uma boa ideia é sugerir que esse seja o assunto de outra conversa e contrapor que, naquele momento, você prefere ouvir o que o orador está dizendo. Essa solicitação para que o gerente assuma o controle da conversa (presumindo que você é o gerente), feita por colaborador de cargo inferior, é muito comum e constitui, na verdade, uma maneira de esse subordinado se afastar, evitando o confronto. Não caia nessa artimanha, ainda que a outra pessoa dê a entender que quer que você fale.
Ouvir com assertividade pode ser um fator de transformação no relacionamento entre o líder e um integrante da equipe. Pessoas que se sentiam ameaçadas ou desvalorizadas antes podem perceber que são realmente singulares e valiosas, talvez pela primeira vez.
Se um conflito se desenvolveu, essa pode ser uma chance para os envolvidos se reconhecerem como colegas, seres humanos e amigos em potencial.
De modo geral, nossa sociedade não ensina nada sobre a habilidade de ouvir com assertividade. Normalmente agimos conforme um modelo de debate belicoso de argumentação racional, não ouvindo a todos com atenção nem chegando a entendimento e respeito mútuos. Nosso paradigma é "a melhor ideia vencerá" e não “todos têm com o que contribuir para a melhor solução - que provavelmente ainda não foi encontrada’: É importante notar que tanto o modelo belicoso quanto o de ouvir assertivamente são buscas pela verdade”. Trata-se apenas de abordagens diferentes. Em termos de habilidades interpessoais, porém, a abordagem combativa invariavelmente deixa alguém para trás e, possivelmente, também sementes de um conflito futuro. Nesse sentido, ouvir com assertividade pode ser não apenas um processo de pacificação como também de manutenção da paz. Diz-se que "adversário é alguém cuja história ainda não ouvimos". Assim que você ouve verdadeiramente a experiência do outro e compreende seus medos e aspirações, não será capaz de considerar essa pessoa um inimigo. Você pode discordar e até considerar que a posição dela é diretamente contrária à sua. Mas a verá como parceira num esforço compartilhado e como ser humano de valor. Como disse Dale Carnegie:
Portanto, você precisa aprender tanto a ouvir como a falar. Aqueles que desprezam isso, achando que se trata de mera superficialidade, já estão demonstrando falta de disposição para ouvir: a frase pode ser banal, mas a mensagem é muitíssimo importante para sua eficácia como líder. Se você não desenvolver explicitamente a habilidade de ouvir, talvez não ouça o segredo que pode lançá-lo para a fama e a fortuna.
 
PASSOS DE AÇÃO
 
1. É preciso compromisso e prática para estar completamente presente e atento aos outros enquanto os ouve. Leia a lista de regras de conversação apresentada a seguir e marque um X ao lado de quaisquer itens em que você precise melhorar. Assim que tiver marcado as áreas que exigem mais atenção, pratique-as até que se tornem parte de sua rotina.
· Não interrompo os outros nem falo por cima deles enquanto estão falando.
· Concentro minha atenção completamente naquilo que a pessoa está dizendo.
· Espero minha vez de falar.
· Sou um ouvinte empático e faço questão de tentar entender o que os outros tentam me dizer.
· Apoio e incentivo os outros enquanto falam.
· Não me comparo ao orador enquanto ele está falando.
· Evito ler a mente da pessoa enquanto a ouço.
· Dou feedback construtivo quando falam comigo.
· Interesso-me sinceramente pelo que os outros falam.
2. A partir da perspectiva de autoestima, pode ser difícil ser um ouvinte eficiente quando sentimos que precisamos ser apreciados, ouvidos ou reconhecidos pelo bom trabalho que realizamos. Quais são as três coisas que você pode fazer por si mesmo que reforçam seu sentimento de que foi devidamente ouvido e respeitado, permitindo que esteja mais presente enquanto conversa com outras pessoas?
3. Firme um compromisso de, pelo menos uma vez por dia, ser ouvinte em ao menos uma conversa. Abdique de suas motivações e simplesmente esteja presente diante da outra pessoa. Então, tome nota de qualquer ideia que possa desenvolver durante a prática desse exercício.

"Este é um dos fatos mais básicos da psicologia humana. Ficamos lisonjeados diante da atenção de outras pessoas. Isso nos faz sentir especiais. Queremos estar perto de pessoas que demonstram interesse por nós. Queremos mantê-las por perto. Nossa tendência é retribuir seu interesse mostrando interesse por elas."
 DALE CARNEGIE