Links Patrocinados

segunda-feira, 31 de maio de 2010

MISS IMPERFEITA - Martha Medeiros

MISS IMPERFEITA

'Eu não sirvo de exemplo para nada, mas, se você quer saber se isso é
possível, me ofereço como piloto de testes. Sou a Miss Imperfeita, muito
prazer. A imperfeita que faz tudo o que precisa fazer, como boa
profissional, mãe, filha e mulher que também sou: trabalho todos os dias,
ganho minha grana, vou ao supermercado, decido o cardápio das refeições,
cuido dos filhos, marido (se tiver), telefono sempre para minha mãe, procuro
minhas amigas, namoro, viajo, vou ao cinema, pago minhas contas, respondo a
toneladas de e mails, faço revisões no dentista, mamografia, caminho meia
hora diariamente, compro flores para casa, providencio os consertos
domésticos e ainda faço as unhas e depilação!

E, entre uma coisa e outra, leio livros.

Portanto, sou ocupada, mas não uma workholic.

Por mais disciplinada e responsável que eu seja, aprendi duas coisinhas
que operam milagres.

Primeiro: a dizer NÃO.

Segundo: a não sentir um pingo de culpa por dizer NÃO. Culpa por nada,
aliás.

Existe a Coca Zero, o Fome Zero, o Recruta Zero. Pois inclua na sua
lista a Culpa Zero.

Quando você nasceu, nenhum profeta entrou a sala da maternidade e lhe
apontou o dedo dizendo que a partir daquele momento você seria modelo para
os outros..

Seu pai e sua mãe, acredite, não tiveram essa expectativa: tudo o que
desejaram é que você não chorasse muito durante as madrugadas e mamasse
direitinho.

Você não é Nossa Senhora.

Você é, humildemente, uma mulher.

E, se não aprender a delegar, a priorizar e a se divertir, bye-bye vida
interessante. Porque vida interessante não é ter a agenda lotada, não é ser
sempre politicamente correcta, não é topar qualquer projecto por dinheiro,
não é atender a todos e criar para si a falsa impressão de ser
indispensável. É ter tempo.

Tempo para fazer nada.

Tempo para fazer tudo.

Tempo para dançar sozinha na sala.

Tempo para bisbilhotar uma loja de discos.

Tempo para sumir dois dias com seu amor.

Três dias..

Cinco dias!

Tempo para uma massagem.

Tempo para ver a novela.

Tempo para receber aquela sua amiga que é consultora de produtos de
beleza.

Tempo para fazer um trabalho voluntário.

Tempo para procurar um abajur novo para seu quarto.

Tempo para conhecer outras pessoas.

Voltar a estudar.

Para engravidar.

Tempo para escrever um livro que você nem sabe se um dia será editado.

Tempo, principalmente, para descobrir que você pode ser perfeitamente
organizada e profissional sem deixar de existir.

Porque nossa existência não é contabilizada por um relógio de ponto ou
pela quantidade de memorandos virtuais que atolam nossa caixa postal.

Existir, a que será que se destina?

Destina-se a ter o tempo a favor, e não contra.

A mulher moderna anda muito antiga. Acredita que, se não for super, se
não for mega, se não for uma executiva ISO 9000, não será bem avaliada. Está
tentando provar não-sei-o-quê para não-sei-quem.

Precisa respeitar o mosaico de si mesma, privilegiar cada pedacinho de
si.

Se o trabalho é um pedação de sua vida, ótimo!

Nada é mais elegante, charmoso e inteligente do que ser independente.
Mulher que se sustenta fica muito mais sexy e muito mais livre para ir e
vir. Desde que lembre de separar alguns bons momentos da semana para
usufruir essa independência, senão é escravidão, a mesma que nos mantinha
trancafiadas em casa, espiando a vida pela janela.

Desacelerar tem um custo. Talvez seja preciso esquecer a bolsa Prada, o
hotel decorado pelo Philippe Starck e o batom da M.A.C.
Mas, se você precisa vender a alma ao diabo para ter tudo isso,
francamente, está precisando rever seus valores.

E descobrir que uma bolsa de palha, uma pousadinha rústica à beira-mar
e o rosto lavado (ok, esqueça o rosto lavado) podem ser prazeres cinco
estrelas e nos dar uma nova perspectiva sobre o que é, afinal, uma vida
interessante'

Cientistas comprovam efeitos da Acupunctura

Cientistas comprovam efeitos analgésicos da acupunctura, identificando a molécula que intervém na acupunctura.
Testes em ratos comprovam que efeito das agulhas pode reduzir até 2/3 a dor
Apesar da longa historia no Oriente e da rápida aceitação pelo Ocidente, ainda existem muitas questões por responder acerca do funcionamento da acupunctura, como os mecanismos que causam efeitos analgésicos.

Um trabalho, publicado recentemente na Nature Neuroscience http://www.nature.com/neuro/journal/vaop/ncurrent/abs/nn.2562.html, revela as bases fisiológicas para os efeitos desta técnica a nível local.

Várias investigações demonstraram que a aplicação de agulhas activa de forma duradoura os tecidos sensíveis ascendentes e, em consequência, liberam-se endorfinas (péptidos opióides) no sistema nervoso central.

Esta técnica, que se realiza em sessões de 30 minutos em que as agulhas giram ou estimulam com calor ou electricidade a cada cinco minutos o corpo, é, para muitas pessoas, um alívio para a dor.

No entanto, a simples libertação de endorfinas “não pode explicar só por si a causa da acupunctura se aplicar convencionalmente muito próximo do foco de dor nem porque os seus efeitos analgésicos estão restringidos ao lado ipsilateral”, assinalam os autores do Centro de Medicina Translacional da Universidade de Rochester, em Nova Iorque.

Se a libertação de endorfinas no cérebro fosse a única razão do efeito analgésico da acupunctura, então bastava que as agulhas fossem enfiadas em qualquer ponto e não nos que estão próximos da zona a ser tratada. O grupo de investigadores centrou a atenção nos fenómenos que tinham lugar nas proximidades do lugar de inserção das agulhas.

A molécula que inibe a dor

O estudo foi centrado na adenosina, um derivado do ATP − a molécula que confere energia às células − que intervém em processos como a regulação do sono ou da função cardíaca e que tem propriedades anti-inflamatórias e analgésicas. Este péptido é libertado na pele depois de se sofrer uma ferida e inibe os impulsos nervos, aliviando a dor.


Como objectos de estudo, os autores submeteram vários ratos com feridas em uma das patas à acupunctura num ponto concreto do joelho em sessões standard e monitorizaram os níveis de adenosina na zona. Deste modo, os cientistas comprovaram que a dor diminuía em dois terços graças às agulhas.

Durante o tratamento, os níveis de adenosina próximos do ponto de inserção aumentaram até 24 vezes o nível base. Curiosamente, num grupo de roedores alterados geneticamente para serem insensíveis a esta molécula, a acupunctura não teve qualquer efeito, reforçando a ideia de que o papel desta molécula é crucial para aliviar a dor.

“Este estudo identifica a adenosina como parte do processo. É uma contribuição interessante para o nosso conhecimento crescente de uma intervenção tão complexa como a acupunctura”, salientou Josephine Briggs, director do Centro Nacional de Medicina Complementar e Alternativa dos Estados Unidos, que financiaram o projecto.

A genialidade de Gary Chang

O arquiteto chinês Gary Chang tem bons motivos para pensar em soluções
que utilizem pouco espaço com muita eficiência. Ele mora em Hong Kong,
um dos maiores centros urbanos do país mais populoso do mundo.

Por ali, a ordem é aproveitar cada mínimo espaço. Por isso mesmo, as
casas costumam ser minúsculas. Enquanto morava com a família, Gary
vivia em um apartamento de dois cômodos: os pais ficavam em um quarto,
as irmãs em outro e ele, no corredor, que também fazia as vezes de
sala.

Hoje, ele vive em um apartamento com 24 cômodos! Revolta? Ostentação?
Não. O lar de Gary Chang tem pouco mais de 30m². Sua grande sacada foi
fazer paredes móveis que possuem rodinhas e se deslocam por trilhos
instalados no teto. “A casa se move para mim”, diz Chang.

Além de ocupar pouco espaço, a ideia também contribui com o meio
ambiente graças aos espelhos instalados no teto que, não só disfarçam
os trilhos e dão a impressão de que o ambiente é maior, como
aproveitam melhor a luz natural que entra pela única janela.

Um filtro alaranjado nas venezianas também intensifica o efeito da luz
que vem de fora e torna o local mais aconchegante. “Quase nunca
preciso acender as luzes”, conta.

A genialidade de Gary Chang foi descoberta pelo programa World’s
Greenest Homes, que, como o nome já diz, vai atrás dos inventores das
casas mais verdes do mundo.

Veja como funciona o “lar doce lar” chinês:

domingo, 30 de maio de 2010

EXPOXANGAI



Também pode saborear este vídeo
http://static.publico.clix.pt/docs/mundo/expoxangai/

Aqui temos o pavilhão do Brasil


E aqui temos o Pavilhão de Portugal

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Testemunho espectacular de Steve Jobs



Eu sou uma mãe orgulhosa dos filhos que trouxe ao mundo. Eles escolheram uma profissão que não tem nada a ver com a minha profissão. Eles gostam das máquinas. No início foi mais difícil aceitar assim tão simples, porém aos poucos comecei a aprender a me relacionar melhor com eles através das máquinas.

Isto é, eu que entendo pouco (quase nada) de máquinas, comecei a admirar a capacidade deles de lidar com algo tão estranho para mim.

Passei a depositar neles toda a responsabilidade pelas minhas máquinas. E isto foi excelente durante muito tempo. No entanto, eles escolheram agora um novo caminho. O Rapahel mora na Suécia e o Ricardo na Espanha e eu me vi diante das máquinas. Ui!!!

Bem, em homenagem a eles, deixo aqui o testemunho de alguém muito bom na área dos meus filhos, com a certeza de que vale a pena ouvir e reflectir sobre estas palavras, em especial os nossos jovens, todos, inclusive os meus filhos.

Se preferir assistir directamente do you tube, vá em
http://www.youtube.com/watch?v=yplX3pYWlPo

terça-feira, 25 de maio de 2010

Tudo ou Nada

video

Tudo ou Nada: Acorde para a vida
Por Roberto Shinyashiki

Lembre-se: na vida, há sempre muitas placas de sinalização. É fundamental estar atentos a essas placas, pois elas orientam nossa caminhada. Não adianta tentar destruí-las, trocá-las de lugar nem fingir que não as vemos.

A vida sempre nos avisa quando estamos no caminho errado. Às vezes, no entanto, nossa inconsciência nos impede de perceber o que estamos fazendo connosco mesmos.
Adianta insistir em ir de São Paulo ao Rio de Janeiro pela rodovia Fernão Dias, que leva a Minas Gerais? É claro que não! Mas quantas vezes vemos isso acontecer com um motorista?

Ele está lá, concentrado no volante, e as placas, durante o tempo todo, apontam a distância que falta para chegar a Belo Horizonte. Nem uma só vez aparece a distância que falta para chegar ao Rio de Janeiro. Mas ele segue em frente até que, de repente, a ficha cai: - Puxa! Peguei a estrada errada!
Quantas vezes você fez algo parecido com sua vida?

Você afundou o pé no acelerador e foi em frente. As placas de sinalização mostravam que estava na direcção errada, mas você nem percebeu os sinais. Insistiu naquela estrada sem se dar conta de que estava entrando numa fria. Quando, enfim, percebeu que havia tomado o rumo errado, você ficou extremamente irritado e precisou pegar o primeiro retorno que encontrou.

É sem dúvida raro o fato de que alguém permaneça dirigindo em uma estrada de rodagem errada por muito tempo, mas há quem fique eternamente em um caminho de vida que não lhe traz felicidade. Muitas placas mostram o caminho errado, mas a pessoa continua insistindo. Os filhos avisam, a insónia avisa, a vontade de beber, que cresce dia após dia, avisa... Mas ela permanece naquele caminho como um robô teleguiado. Ignora os sinais da vida e procura justificar o seu comportamento.

Existe um comportamento ainda pior: a destruição das placas de sinalização. É como se o viajante destruísse todas as placas que indicam que está a caminho de Belo Horizonte. Prefere destruí-las a parar e perguntar. Afasta-se dos verdadeiros amigos, que o avisam sobre o caminho errado, afasta-se do filho, que insiste em lhe mostrar que não está bem, isola-se do mundo, abandona a terapia. Lembre-se: a destruição das placas não elimina a dificuldade de criar felicidade em sua vida!

Quando você decide trilhar um caminho, é importante escolhe-lo bem e manter-se nele com persistência. Se você, porém, perceber que está no caminho errado, será melhor mudar de rota. Faça o retorno mais próximo e comece tudo de novo! É muito mais proveitoso fazer isso do que seguir sofrendo eternamente.

Lembre-se: na vida, há sempre muitas placas de sinalização. São enxaquecas ou insónias frequentes, distúrbios alimentares, dificuldades sexuais, pessoas que se aproximam ou se afastam, brigas eternas no casamento, um filho que apresenta problemas de desenvolvimento emocional, enfim, uma infinidade de ocorrências - algumas aparentemente banais, outras avassaladoras - que nos oferecem indícios do caminho que estamos trilhando.

É fundamental estarmos atentos a essas placas, pois elas orientam nossa caminhada. Não adianta tentar destruí-las, trocá-las de lugar nem fingir que não as vemos.

Todas essas são tentativas infantis de nos iludir, pois, se estivermos seguindo um caminho que não leva à plenitude, os avisos se tornarão cada vez mais frequentes e intensos. No começo, sentimos uma angústia que se transforma em insónia e, de repente, torna-se depressão. E não adianta adiar o momento de mudar de estrada. Por mais que tentemos destruir os sinais, eles continuarão a aparecer à frente até tomarmos uma decisão e escolhermos outro rumo.
Roberto Shinyashiki é conferencista e escritor.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Profissionalismo

Em uma grande e importante companhia aérea, ocorreu um dos muitos voos internacionais, mas aquele era especial, pois uma turma de novos tripulantes estava fazendo sua primeira viagem. Na cabine apenas uma comissária tinha anos de experiência, os outros comissários estavam estreando. O voo transcorria normal apesar de estar completamente lotado. Como a viagem era de longa duração e havia muitas crianças e idosos com muitos pedidos, em algum momento o serviço começou a ficar atrasado. A escala em um movimentado aeroporto estava ameaçada, pois se a cabine não estivesse organizada em poucos minutos, a aeronave teria de sobrevoar e esperar no final da fila para pousar, o que atrasaria todo o resto do voo. Vendo a situação que se passava uma comissária que fazia a viagem de volta como passageira, levantou-se da poltrona e começou a ajudar a recolher as bandejas, com sua grande habilidade tudo estava no lugar e a aeronave pousou sem atraso. Já em terra, com a cabine quase vazia a comissária chefe se aproximou da despojada funcionária que acreditava que iria receber um agradecimento, um elogio, ao que responderia que não havia feito mais que sua obrigação. Mas a comissária em vez de agradecer criticou:
- Espero que nunca mais você faça uma coisa assim, disse a comissária chefe.
- O que eu fiz? Só ajudei a equipe, a empresa, eu fui profissional, respondeu.
- Negativo, sua ação atrapalhou enormemente nossa empresa. Aqui estava claro que houve inúmeros problemas em vários setores da empresa, escalas, dimensionamento da equipe, provavelmente o impacto do atraso faria com que os setores envolvidos nunca mais cometessem os mesmos erros. Já com a sua interferência... haverá meu relatório, claro, mas como o resultado foi alterado, levará mais tempo para ser corrigido. Desta vez você não foi profissional.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Assentir e soltar

Assentir e soltar
Bert Hellinger
Que significa aqui vazio? Qual é o processo interno que leva a esse vazio e como ele é sentido? Muito ao contrário das imagens que relacionamos ao vazio, alcançamos aquele vazio que leva à sintonia com o espírito criador, assentindo totalmente a tudo o que é tal qual é. E por quê? Porque esse espírito é a força criadora original que a tudo impregna. Através desse assentimento nos abarrotamos de tudo o que esse espírito cria, ordena e anima. E assim, através do assentimento a tudo tal como é, alcançamos tanto a plenitude como o vazio. Porque só podemos assentir totalmente quando soltamos aquilo que é próprio em grande medida. Entretanto, ao soltá-lo, não nos esvaziamos, ao contrário. Como não enfrentamos aquilo que é como nada próprio, nos esvaziamos para a plenitude e nos tornamos um com a força que o move.
Só conseguimos soltar quando assentimos, e só conseguimos assentir quando também soltamos. Só nos esvaziamos quando nos abrimos a essa plenitude. O vazio e a plenitude se condicionam mutuamente. Ambas as coisas alcançamos em um mesmo processo.

(Texto extraído do livro: La verdad en movimiento, Bert Hellinger, ed Alma Lepik, 2008.)

quarta-feira, 12 de maio de 2010

V JORNADAS PORTUGUESAS DE MEDICINA E ESPIRITUALIDADE

Pelo 5º ano consecutivo, Lisboa vai ser palco, em Maio, das V Jornadas Portuguesas de Medicina e Espiritualidade, uma organização conjunta da Associação Médico-Espírita Internacional e da “Verdade e Luz”, Editora e Distribuidora Espírita, contando ainda com a participação da Associação Médico-Espírita de Portugal.
Destinadas a divulgar um novo paradigma para o século XXI, aquele que integra Saúde e Espiritualidade, as Jornadas terão lugar nos próximos dias 29 e 30 de Maio, em Lisboa, no Auditório da Faculdade de Medicina Dentária (metro Cidade Universitária), contando com a participação de 12 conferencistas, dos quais 10 são médicos e 2 psicólogos, um especialista em saúde mental e o outro em neurociências.

Quanto aos temas deste ano, falar-se-à sobre a verdadeira cura da alma; as revelações sobre as funções do cérebro e a acção do espírito sobre a matéria; o poder terapêutico das radiações humanas; a maneira de envelhecer com qualidade de vida espiritual; o auxílio para superar as compulsões; a verdadeira percepção do que são as epidemias e as doenças cardiovasculares; a ajuda efectiva para superar os transtornos mentais, especialmente, o TOC (Transtorno Obsessivo-Compulsivo); e a compreensão do que é, realmente, a relação médico-paciente.
O preço da inscrição é de € 35,00 (trinta e cinco euros), podendo esta ser feita e paga pela internet, através do site www.verdadeluz.com, ou então por correio, para a seguinte morada: rua Marcos Portugal, 12-A – 1495-091 Algés.
Para mais informações, contactar pelo email jornadas@verdadeluz.pt, pelos telefones 214 121 062; 916 943 625; 962 315 659 e 934 300 778 ou directamente na morada acima, entre as 13h e as 19h30, de 2ª a 6ª-feira.

Fonte: Verdade e Luz

Homenagem aos enfermeiros

domingo, 9 de maio de 2010

Criatividade é coisa séria

Cientistas tentam mapear os caminhos da criatividade no cérebro humano
Para exercitar o cérebro, vc pode brincar com amigos e fazer uma lista de quantos usos criativos para um tijolo você puder imaginar.

Vc pode completar aqui com o que lhe vier a cabeça:
1- fazer parede
2- fazer uma estante
3- servir de peso para papel
4- ser decorativo
5- guardar dinheiro escondido
6- atravessar um barbante e servir para isolar uma área ou impedir a passagem
7- jogar no ladrão bem na cabeça
8- banco para sentar
9-

Os cientistas estão investigando o cérebro & criatividade e as imagens dos sinais acendendo nos lóbulos frontais levaram os cientistas a reexaminarem a própria forma como a criatividade é medida em um laboratório. “Criatividade é quase como pornografia –você sabe quando a vê”, disse Rex Jung, da Rede de Pesquisa da Mente da Universidade do Novo México, em Albuquerque. Jung disse que sua equipe estava realizando a primeira pesquisa sistemática da neurologia geral do processo criativo, incluindo seu relacionamento com a personalidade e com a inteligência.

Como muitos pesquisadores ao longo dos últimos 30 anos, Jung empregava uma definição comum de criatividade: a habilidade de combinar novidade e utilidade em um contexto social em particular. Mas à medida que o estudo da criatividade expandiu para incluir a neurologia do cérebro, alguns cientistas passaram a questionar se esta definição padrão e os testes para ela ainda faziam sentido. John Kounios, um psicólogo da Universidade Drexel, argumenta que o padrão “perdeu sua validade”.

“Criatividade é um conceito complexo; não é uma coisa só”, ele disse, acrescentando que os pesquisadores do cérebro precisavam decompor um processo muito complicado em seus componentes. Kounios, que estuda a base neural da intuição, define criatividade como a habilidade de reestruturar o entendimento de uma situação de uma forma não óbvia.

Todo mundo concorda que não existe uma medida única de criatividade. Apesar dos testes de QI, que são controversos, ainda serem considerados um teste confiável de pelo menos certo tipo de inteligência, não há um equivalente para criatividade –nenhum quociente de criatividade, ou QC.

O laboratório de Jung utilizada uma combinação de medidas para servir como substituta para a criatividade. Um é o Questionário de Realização em Criatividade, que pede às pessoas que relatem sua própria aptidão em 10 campos, incluindo artes visuais, música, redação criativa, arquitetura, humor e descoberta científica.

Outro é um teste para “pensamento divergente”, uma medida clássica desenvolvida pelo psicólogo pioneiro J.P. Guilford. Aqui é pedido a uma pessoa que apresente funções “novas e úteis” para um objeto familiar, como um tijolo, um lápis ou uma folha de papel.

A equipe de Jung também apresenta situações estranhas aos sujeitos. Imagine quais seriam as implicações das pessoas poderem mudar instantaneamente de sexo, ou das nuvens terem cordas?

Em outra avaliação, é pedido ao sujeito que desenhe o sabor do chocolate ou escreva uma legenda para um cartum humorístico, como no concurso semanal da revista “The New Yorker”. “O humor é uma parte importante da criatividade”, disse Jung. As respostas são usadas para gerar o que Jung chama de “Índice Composto de Criatividade”.

Os testes de Jung são baseados naqueles criados por Robert J. Sternberg, um dos proeminentes pesquisadores de inteligência do país e o homem parcialmente responsável pela definição padrão. Sternberg utiliza testes semelhantes na Universidade Tufts, onde ele investiga como as pessoas desenvolvem e dominam habilidades. Ele explicou que sua equipe pediu a sujeitos que pensassem no que teria acontecido se, digamos, Rosa Parks tivesse cedido seu assento para uma mulher branca quando aquele motorista de ônibus de Birmingham lhe disse para ir se sentar no fundo, ou se Hitler tivesse vencido a Segunda Guerra Mundial. Ele também poderia apresentar uma manchete imaginária, tipo “O Fim da MTV”.

Quanto a Jung, sua pesquisa produziu alguns resultados surpreendentes. Um estudo envolvendo 65 pessoas sugere que a criatividade prefere adotar um caminho mais lento e cheio de voltas do que a inteligência.

“O cérebro parece ser uma superestrada eficiente para levar você do Ponto A ao Ponto B” quando se trata de inteligência, explicou Jung. “Mas nas regiões do cérebro relacionadas à criatividade, parece haver muitas estradas secundárias com desvios interessantes, além de pequenos atalhos sinuosos.”

Apesar de inteligência e habilidade geralmente estarem associados à ativação rápida e eficiente de neurônios, os sujeitos que apresentaram mais criatividade nos testes tinham matéria branca mais fina e axônios de conexão que têm o efeito de desacelerar o tráfego nervoso no cérebro. Esta desaceleração no córtex frontal esquerdo, uma região onde as habilidades emocionais e cognitivas estão integradas, sugeriu Jung, “pode permitir a associação de ideias mais díspares, mais novidade e mais criatividade”.

Kounios disse que Jung está realizando um trabalho original e interessante, mas disse que tentar encontrar uma correlação entre criatividade e uma área única do cérebro é uma “abordagem à moda antiga”.

“A criatividade é uma coleção de processos diferentes que trabalham em diferentes áreas do cérebro”, disse Kounios, de forma que o ato criativo deve ser desmontado em pedaços minúsculos. Ele também rejeita a utilidade como parte da definição, argumentando que pode haver fracassos brilhantes e criativos –o que ele chama de erros por pouco.

No ano passado, ele e Mark Beeman, um psicólogo da Universidade do Noroeste, publicaram um artigo sobre o que ele chama de “momento Ahá!”, a intuição repentina que resolve um problema, reinterpreta uma situação ou explica uma piada. Em seu teste, eles usaram simples quebra-cabeças de palavras que poderiam ser resolvidos tanto com uma intuição criativa instantânea quanto por uma análise rápida.

Cerca da metade dos sujeitos chegava a uma solução pensando metodicamente nas possibilidades, enquanto na outra metade a resposta surgia em suas mentes.

Muitas áreas diferentes do cérebro estão envolvidas no conceber de uma solução, independente de qual processo seja usado, mas durante o momento Ahá!, há uma explosão de atividade de alta frequência no lóbulo temporal direito, disse Kounios. Além disso, ele disse, ele e Beeman não puderam prever com antecedência que processos o sujeito usaria. Eles observaram os cérebros dos solucionadores sistemáticos do problema se prepararem ao prestarem atenção atenta à tela antes das palavras aparecerem. Seus córtices visuais estavam em alto alerta.

Os cérebros daqueles que tiveram um lampejo de intuição criativa, por sua vez, se preparam automaticamente desativando a atividade no córtex visual por um instante –o equivalente a fechar seus olhos para afastar distrações, para que você possa se concentrar melhor. Neste caso, Kounios disse que o cérebro estava “eliminando a entrada de outros dados sensoriais e ampliando a razão entre sinal e ruído”, para obter a resposta do subconsciente.

Segundo Kenneth Heilman, um neurologista da Universidade da Flórida e autor de “Creativity and the Brain” (2005), a criatividade não apenas envolve chegar a algo novo, mas também desativar a resposta habitual do cérebro, ou o abandono das soluções convencionais.

O comportamento de risco ou viciante também deve ser medido, já que ambas as características têm um papel na criatividade, ele disse.

Pode haver, por exemplo, uma redução da norepinefrina, o neurotransmissor que dispara o alarme lute ou fuja. Este é o motivo para as conexões criativas frequentemente ocorrerem quando as pessoas estão mais pacíficas –relaxadas sob uma árvore, como Isaac Newton, ou em um estado de sonho, como Coleridge quando criou “Kubla Khan”.

John Gabrieli, um professor de neurociência cognitiva no Instituto de Tecnologia de Massachusetts, alerta que há sempre uma distância entre o que acontece no laboratório e no mundo real: “Parece que ser criativo é algo para o qual ainda não temos um teste”.

Dia das mães

Vou fazer aqui uma homenagem às mães que sofrem com a fase de não compreensão dos filhos "crescidos".

Há um momento na vida dos filhos que colocam tudo em causa.

Queixam-se das mães e dos pais também. Não tem uma idade cronológica para isto acontecer. Acontece geralmente a partir da adolescência.

Há filhos que passam bem esta fase, recuperam-se rapidamente. Há outros que demoram um pouco mais.

Tudo que lhes acontece é porque as mães não souberam educar.
Criticam as regras, têm a sensação que ela gosta mais do outro filho/a, criticam a falta de tempo delas, a profissão que elas escolheram, os gostos especiais, criticam as escolhas, as prioridades, a educação que receberam, as cobranças directas ou indirectas....criticam, criticam e pronto.

Tudo isto acontece porque esses filhos ainda não aprenderam que CADA UM FAZ O QUE SABE. A sua mãe também fez apenas o que sabia. Pode ser que hoje em dia ela até fizesse diferente e de novo estaria fazendo apenas o que sabe.

Seguindo este raciocínio, este filho que critica a sua mãe e até se afasta dela temporariamente, ele também só faz o que sabe. A cada dia ele vai aprendendo mais e vai sabendo mais e vai fazendo diferente. Compreensão para com este filho. Ele só faz o que sabe.

Felizes daqueles filhos que durante essa fase encontram seres humanos adultos sensatos que os orientam no sentido de valorizar tudo que a mãe conseguiu lhes proporcionar, agradecer a aprendizagem que fizeram ao longo desse percurso junto com essa mãe.

Aqui eu aproveito para deixar um recado para os avós, tios, padrinhos, adultos que as vezes ouvem o desabafo desse filho "crescido". Filho que é do outro e não seu.

Ouçam... eles precisam disto.

Apoiem... eles também precisam disto.

Ofereçam leitura... sugiram filmes (click por exemplo é ótimo para esta fase)...

Porém não dêem a razão a eles, não façam JULGAMENTOS contra essa mãe junto com eles, não lhes digam, "é mesmo, a sua mãe não soube vos criar".

Não descarregue nesse jovem que confia em você para fazer o seu desabafo, não descarregue a sua própria mágoa que ainda não ficou resolvida com relação à sua própria mãe ou em relação a mãe desse filho "crescido". Não alimente a revolta nesse jovem contra a mãe dele.

Quando você não consegue separar a sua própria história de vida com a história de vida do jovem que você ouve neste momento, você corre o risco de fazer um grande mal a ele.

Veja, durante um bom tempo da vida dele, ele acreditou que mãe é mãe, que em nome de ser mãe muita coisa acontece na relação, confiou nessa mãe, dependeu física e emocionalmente dessa mãe, contou com ela e recebeu pouco ou muito do que esperava receber, mas recebeu o que ela lhe conseguiu dar, da forma como ela conseguiu dar.

Quando eles entram em revolta, num processo natural do desenvolvimento psicológico do ser humano e encontram, por exemplo, uma tia que lhes afirma que a mãe deles é isto e a mãe é aquilo, e que ela devia de fazer assim e não fez, que confirmam as revoltas do jovem, estão a fazer um imenso mal a esse jovem. Não estão fazendo mal a mãe dele e sim a ele.

Sabem porque? Esse jovem está numa fase de evolução e precisa contestar para depois acreditar. Ele contesta, critica, julga e aos poucos vai reflectindo e vai concluindo que tudo isto é um processo, que ele está diante de um processo, NATURAL. Terá fases de acreditar que a vida é bela, outras nem por isto.

Porém quando ele procura apoio numa tia e ela CONFIRMA (por razões pessoais dela, da história de vida dela) que a mãe dele é mesmo tudo isso de feio que ele está a ver nesse momento, ela estará conduzindo erradamente esse jovem a não ACREDITAR no ser humano, na vida.

Sim, se essa mãe que ele esteve ligado a ela tantos anos, em quem acreditou, confiou, dependeu, deu de si, recebeu para si, amou, acarinhou, riu, brincou, pediu favores possíveis e impossíveis... se essa mãe agora é considerada MÁ, então quem nesta vida será bom?

Diante desta DECEPÇÃO com relação à sua mãe, estimulada por essa tia, madrinha, avó etc… ele pode começar a fazer escolhas opostas e pode conhecer um lado muito difícil da vida.

Muitos filhos chamam a mãe de paranóica, obsessiva, ansiosa, cobradora, chata (melga), controladora, etc... ela é tudo isso porque ela é mãe. E cada uma é mãe como consegue ser. Não há uma escola de mãe, há um acertar, errar, corrigir e vai se construindo nesse papel de mãe.

E, em especial oriento a quem ouve um jovem revoltado, deve sempre responder a ele que é simples. è suficiente que ele comece a identificar o que a mãe transmitiu através da educação, dos exemplos, das vivências e que ele não deseja ter consigo, no seu código de valores, nos seus comportamentos e fazer então uns furinhos metafóricos e deixar sair isso que não desejam.

A mãe transmitiu, certo ou errado, mas se o jovem não deseja manter aquilo dentro de si, elimina e segue a sua vida.

Somos responsáveis pela nossa construção. Não podemos passar o resto da nossa vida a culpar e criticar a nossa mãe. Devemos construir o nosso próprio caminho, aceitando ou rejeitando a aprendizagem feita com a nossa mãe.

O mais gostoso de se ouvir é que isso PASSA, porque TUDO PASSA.
Tem uma metáfora que diz que um Rei deu um anel ao seu filho e dentro do anel fez uma inscrição. TUDO PASSA.

E disse ao filho, diante de momentos com fortes emoções, tire este anel do dedo e leia o que está escrito nele e assim, quando o filho venceu uma batalha e estava a saborear a alegria da vitória, tirou o anel e leu TUDO PASSA.

Quando estava acamado com dores e febre, triste e preocupado com a saúde, tirou o anel e leu TUDO PASSA.

Sim, asseguro....TUDO PASSA. Isto também vai passar.

Estou escrevendo um livro sobre este tema e nele incluo também os pais. Hoje só referi a mãe por ser dia da mãe. 2 e 8 de Maio. Dia da Mãe!!!

Recebi este vídeo da Dalva, Marilene, Mónica, Elisa, Helder... e o incluo aqui:

video

sábado, 8 de maio de 2010

Rio de Janeiro Panorâmico

Rio de Janeiro. Clique em cima das estrelas quando abrir o site e você pode
saborear a viagem.
Assuma o controlo da viagem e aperte botão esquerdo do mouse e arraste para cima e para baixo ou lado esquerdo ou diretio...

Site em russo - clique no mapa na caixa de diálogo no canto superior direito
e escolha os locais para visitar!
http://www.zubetzblitz.narod.ru/GALARY/tour_brasil/rio/rio.html

O silêncio da tecnologia

Acreditem, deixei cair o meu disco externo e ele decidiu fazer silêncio.
Há muitas informações dentro dele que tem uma casa no tamanho de 1 terabyte. Coisas muito úteis para muitas pessoas.
Estou a procura de soluções de confiança.
Um engº Informático indicou-me estas empresas.
http://www.recoverylabs.pt/servicos/recuperacao_dados.html?gclid=CN-WtoL_wqE
CFU6Z2AodplVnAA

http://www.tecnosupra.pt/

http://www.datarecovercenter.pt/?id_page=7

http://www.ondata-pt.com/recuperacao-dados/contactos.htm

http://www.datarecoverylab.pt/

Há 7 anos eu tive um problema com o disco do meu portátil e usei a Recovery Labs, e nessa época eles existiam apenas na Espanha e lá mandei o meu disco pela SEUR 10 e eles receberam o disco no mesmo dia e fiquei satisfeita com o trabalho que eles fizeram. Na época foi muito caro, mas hoje, pelo que vi na Internet é mais barato, apesar de ser uma despesa que eu dispensava ter agora.

Peço a todos a quem eu prometi enviar técnicas, gravações de hipnose, livros etc, que aguardem um pouco mais até que eu consiga recuperar esses dados.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

O resultado do dia do silêncio


Fantástico o dia de hoje!
Muito bom mesmo! Convivi com seres humanos belíssimos desde as 9ha da manhã até Agora. Fizemos imensas técnicas, aproveitei bastante, ensinei e aprendi muito.
Destacamos algumas frases que as pessoas trouxeram:
“É tempo de começar novas lembranças”. Manuela Ferreira
“O silêncio as vezes é resposta.” Ana
“O espírito precisa do nosso silêncio.” Maíra Diniz
“Sou eu quem tenho de mudar, aceitar o silêncio.” Rosário
“Eu ainda preciso falar na hora.” Mª José
“Uma das grandes qualidades duma pessoa é saber usar o silêncio. Eu vou aprender.”

Estas foram as que eu me lembrei de ter ouvido. Amanhã com calma vou lembrar de outras. e, vocês que por aqui passaram no dia de hoje, podem acrescentar o que desejarem. um abralaço harmonioso

Sinto necessidade de fazer um elogio aos homens que estiveram presente. A cada dia mais recebo a presença dos homens e de forma bastante participativa nestes encontros. Devemos valorizar este crescimento interior e a procura por caminhos mais espiritualizados.

Agradeço a visita e a presença carinhosa com partilha, também com vontade de ajuda ao outro, das psicólogas Maíra Diniz e Eveline Cunha. Para as conhecerem melhor visitem A Arte de Bem Viver! http://evelinecarvalhocunha.blogspot.com
e Maíra em http://www.saberesorrir.com/

Escolha o que você quer silenciar….

Silêncio, hoje é o Dia do Silêncio !
Escolha o que você quer silenciar….
Silencie o luxo e ouvirá a SIMPLICIDADE….. a arrogância e ouvirá a humildade.
Silencie a crítica e ouvirá a ACEITAÇÃO…… o materialismo e ouvirá a ESPIRITUALIDADE.
Silencie a alma e ouvirá o coração….. os ouvidos, e ouvirá os verdadeiros pensamentos.
Silencie a boca, e ouvirá o que tem dito as atitudes….. o desânimo, e ouvirá o som da alegria.
Silencie a realidade, e ouça o que dizem os sonhos…. a preguiça, e ouvirá falar do sucesso.
Silencie o orgulho, e ouvirá a paz…… as mãos, e ouvirá as verdadeiras emoções.
Silencie o ódio e ouvirá o que diz o amor….. a competição e ouvirá a colaboração.
Silencie o individual e ouvirá o colectivo….. a solidão, e ouvirá o som das pessoas que amam.
Silencie a incredulidade e ouvirá sobre os feitos da fé….. a TV, e ouça o que diz um bom livro.
Silencie a ignorância e saberá o que diz a sabedoria.
Angela Escada, 7 de Maio de 2010

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Mãe desnecessária

Recebi da Cristina
Mãe desnecessária – texto de Márcia Neder

" - A boa mãe é a que vai se tornando desnecessária, com o passar do tempo”.

Se eu fiz o trabalho direito, tenho que me tornar desnecessária.
Ser “desnecessária” é não deixar que o amor incondicional de mãe, que sempre existirá, provoque vício nem dependência nos filhos, como uma droga, a ponto deles não conseguirem ser autônomos, confiantes e independentes, prontos para traçarem seu rumo, fazerem suas escolhas, superarem suas frustrações e cometerem os próprios erros também.

A cada fase de suas vidas, vamos cortando e refazendo o cordão umbilical ...A cada nova fase, uma nova perda e um novo ganho, para os dois lados: mãe e filhos.

Porque o amor é um processo de libertação permanente e esse vínculo não pára de se transformar ao longo da vida ... até o dia em que os filhos se tornam adultos, constituem a própria família e recomeça o ciclo.

O que eles precisam é ter a certeza de que estamos lá, firmes, na concordância ou na divergência, no sucesso ou no fracasso, com o peito aberto, o abraço apertado, o conforto nas horas difíceis.

Esse é o maior desafio e, também, a principal missão: aprender a sermos “desnecessárias”.

Amor de Mãe

Recebi da minha amiga Alice do Rio de Janeiro. Achei que vocês também iam gostar de ler.
Amor de Mãe
por Maria Cristina - tina.lc@hotmail.com
Maio chegando, mês das mães, de Maria, mês das noivas, tempo abençoado por uma suavidade amorosa que sempre me toca profundamente, cada ano de forma especial, diferente.

Enquanto vivemos tempos tão difíceis, de muita violência, de catástrofes, de aumento no consumo das drogas entre os adolescentes, eu me lembro dessas mulheres que são mães e que tanto sofrem, diante de filhos problemáticos, agressivos, viciados, mortos, agredidos, desacreditados, trancafiados em prisões fétidas e desumanas... E peço ao Deus de Amor que as abençoe e que cure as feridas de seus corações, da forma que só Ele pode e sabe como.

Mães que desculpam as atitudes de seus filhos, apesar de reconhecê-los culpados de muitos erros. Mães que choram sem parar pedindo-lhes uma mudança de comportamento, muitas vezes sendo vítimas de espancamentos e agressões por parte de seres que elas ajudaram a trazer a este planeta.

Só um coração de mãe pode amar este filho desviado do Bem e tão desequilibrado. Mas ela é capaz de amá-lo, apesar de tudo. Ela acredita que um dia ele pode vir a se modificar e pede a Deus por aquele que todos tratam como se fosse um verdadeiro monstro.

Este amor incondicional é o bálsamo para as feridas profundas que existem em todos nós. Muitas que apareceram nesta nossa vida atual, outras que trouxemos conosco, ao nascermos mais uma vez no planeta. Só esta energia amorosa divina tem o dom de transformar o joio em trigo...

Homenageando as mães, neste mês de maio a elas consagrado, penso não apenas naquelas que sorriem vitoriosas, por terem tido a glória de ter filhos perfeitos fisicamente, que mesmo lutando, estão vivendo de forma equilibrada.

Lembro-me dessas heroínas na desventura e na dor, que acompanham a tortura sofrida por seus filhos vivendo em penitenciárias, das que vivem a suplicar um pouco de paz, convivendo com filhos viciados, nas que receberam filhos doentes desde o berço e a quem cumulam de carinho e atenção, buscando a todo custo que venham a conquistar uma vida mais digna no futuro, apesar de suas limitações.

Enfim, quando soubermos de mais um crime hediondo, praticado por qualquer ser humano, aqui ou em outro país, lembremos de fazer uma prece por sua mãe, que na sua dor sabe que muito pouco pode fazer para impedir o sofrimento de seu filho, que está sendo punido justamente por erros cometidos.

Quando me refiro às mães, não estou me esquecendo dos pais que também amam incondicionalmente. Penso que, por mais errado que alguém o seja, sempre é amado por alguém, que sofre por ele, que ora por ele, que torce por seu reajuste e transformação. É por todos esses seres amorosos que peço a Deus que dê força e esperança em dias melhores, pois esta dor de que falo é muito profunda e inesquecível!

Feliz mês das Mães para todos os que amam e por isto são capazes de perdoar, de se compadecer, mesmo diante das piores circunstâncias!

" Só o amor educa, humaniza e transforma " ( do site www.marcosdemario.com.br)

" A verdadeira perfeição está em enxergar além daquilo que vemos " ( do site www.umamaeespecial.com )

Dúvidas sobre o dia do silêncio

A morada é rua nova das Icas, 42 - 3º esquerdo
a rua é perpendicular à Rua Óscar da Silva
O prédio é de pastilhas num amarelo esmaecido.
No painel de campainhas onde está escrito Angela Escada é a campainha ado consultório (pelo lado de fora do prédio) terá um aviso pedindo para não tocar a campainha.

A porta principal estará aberta, presa com um peso.
depois que entrar no prédio, na parede do seu lado direito terá um papel indicativo com uma seta ==> escrito SILÊNCIO.
A porta da sala é a que fica bem em frente da porta principal.
A porta da sala estará sempre encostada, com um peso evitando que ela se abra totalmente.


Não há um programa definido. Há técnicas que serão realizadas com as pessoas. pode desejar fazer a técnica de forma individual, pode fazer em grupo. Isto será falado comigo, na hora que a pessoa chegar.

chegue no horário que lhe for possível.´será bem querida/o. um abraceijo,Angela

Frases sobre o silêncio

"O homem arruína mais as coisas com as palavras do que com o silêncio."
(Mahatma Gandhi)

"As mais lindas palavras de amor são ditas no silêncio de um olhar."
(Leonardo da Vinci)

"As férias são necessárias para a recuperação do corpo e do espírito, especialmente para aqueles que levam uma vida frenética e sem muito tempo para o silêncio e para a reflexão." (Papa Bento XVI)

"No maravilhoso território do silêncio nós tocamos o mistério. Ele é o lugar da reflexão e contemplação, e é o lugar onde nós podemos nos conectar com o conhecimento profundo, para o caminho da sabedoria profunda."
(Angeles Arrien)

"Duas pessoas têm vivido em você por toda a sua vida. Uma é o ego, tagarela, exigente, calculista; a outra é o ser espiritual escondido, cuja silenciosa voz de sabedoria você somente ouviu ou reparou raramente - você revela em si mesmo o seu próprio guia sábio." (Sogyal Rinpoche)

"A meditação me ajuda a sentir a forma e a textura da minha vida interior. Aqui, no silêncio, eu posso começar a saborear o que os budistas chamariam de minha verdadeira natureza, o que os judeus chamam de calma, suave voz, e o que os cristãos chamam de Espírito Santo." (Wayne Muller)

Não há necessidade de sair da sala. É suficiente sentar-se à mesa e escutar. Nem sequer é necessário escutar, é só esperar. Nem sequer é preciso esperar, é só aprender a ficar em silêncio. O mundo se oferecerá a você livremente para ser descoberto.
Franz Kafka

"Silencia é deixar o silêncio invadir o nosso ser, é poder na calmaria ouvir o eco íntimo que soar."
( Hildegardes Moreira Veloso )

"Muitas vezes o segredo do silêncio é que conta o grande segredo."
( Wivianny Carvalho Sarmento

quarta-feira, 5 de maio de 2010

'Gestão das más notícias'

Ontem estive novamente pertinho, trocando energias com os profissionais da saúde do hospital de Leiria, Santo André. Gosto mesmo de lá estar.
O investimento que fazem na humanização me agrada.
Aqui está a fotografia do início da tarde de ontem, uma tarde bonita, energizada.
Esta fotografia tem o objectivo de mostrar a beleza da harmonia do ambiente e não beleza exterior.


Seminário pré-jornadas


A 'Gestão das más notícias' será o tema em destaque no seminário que antecipa as jornadas anuais do HSA. O seminário pré-jornadas decorrerá hoje, entre as 14h30 e as 18h30, no auditório do hospital.
Coordenado por Helena do Vale, assistente de Medicina Interna do HSA, e com a intervenção de Ângela Escada, psicóloga clínica, o seminário tem como objectivo mostrar a importância da humanização dos serviços, especialmente numa área tão delicada como a da gestão das más notícias.
http://www.diarioleiria.pt/21108.htm
http://www.portaldasaude.pt/portal/conteudos/a+saude+em+portugal/eventos/v+jornadas+hsa.htm

http://www.hsaleiria.min-saude.pt/ComunicacaoImagem/NoticiasEventos/Jornadas+do+Hospital+de+Santo+Andr%C3%A9+2010.htm

Esta fotografia mostra o bem-estar que eu me encontro quando estou falando/ouvindo um grupo. O quanto eu me entusiasmo e me dedico ao momento. Com certeza me sinto inteira nesta relação de partilha com estes seres humanos que cuidam do que temos de mais importante, a nossa vida, cuidando do nosso corpo.



http://www.jasfarma.pt/noticia.php?id=3173

domingo, 2 de maio de 2010

Como comunicar a morte

Dois oficiais do exército são confrontados com a tarefa pouco invejável de comunicar às famílias a morte dos soldados em combate. Os dois homens forjam um improvável elo que é ameaçado quando um deles se sente atraído por uma jovem viúva, desenvolvendo um dilema ético de forma tocante e surpreendente. O filme é uma profunda e comovente fábula sobre as formas complexas e inesperadas que encontramos de ganhar força, oferecendo uma visão única e inspiradora que mantém com destreza o equilíbrio entre as emoções fortes, o humor, a compaixão e a empatia.

www.themessengermovie.com
www.imdb.com/title/tt0790712

Santo Sepulcro

Gire o mouse em várias direções, de acordo com o menu que aparece nos
slides.
Santo Sepúlcro - Jerusalém

http://www.360tr.com/kudus/kiyamet_eng/index.html