Links Patrocinados

domingo, 28 de fevereiro de 2010

" Inteligência emocional: liderança e coaching"


Segue o PROGRAMA para o dia 10 de Abril de 2010.

9h30mn - Sessão de abertura

9h45mn: " Inteligência emocional: liderança e coaching" - Dra. Ângela Escada

11h: Intervalo para café

11h30mn: "Ética e desenvolvimento profissional" - Mestre Assunção Magalhães
Apresentação dos trabalhos realizados pelos formandos da 2ª ed. da Pós graduação em Supervisão Clínica

12h 30mn: Almoço

14h: " Supervisão: promoção de uma prática reflexiva - Profa. Doutora Isabel
Alarcão
Apresentação dos trabalhos realizados pelos formandos da 2ª ed. da Pós-graduação em Supervisão Clínica

15h 30mn: Intervalo café

16h: "Avaliação na supervisão como construção e aprendizagem" - Profa. Doutora
Palmira Alves
Apresentação dos trabalhos realizados pelos formandos da 2ª ed. da Pós-graduação em Supervisão Clínica

17h30mn: Sessão de encerramento
Maiores detalhes em http://www.cespu.pt/pt-PT/formacao/cursos_formacao/2010/seminario____supervisao_para_uma_profissionalidade_complexa_.rhtml

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Ventos a 150km/hora...cuuidado! Eles vão ser multados pela brigada

O Instituto de Meteorologia lançou um alerta vermelho para sábado em dez distritos do Norte e Centro do país devido à intensidade do vento. Este é o alerta mais alto de um total de cinco níveis.

O mau tempo chega nesta madrugada, mas o alerta é válido até à meia-noite de sábado. De acordo com o Instituto de Meteorologia (IM), uma depressão que se encontra a oeste da ilha da Madeira vai deslocar-se “rapidamente para Nordeste ao longo da costa, atingindo com maior intensidade as regiões do litoral Norte”. O IM informa que o Sul do país também será afectado, mas com menos intensidade.

Nos distritos afectados pelo alerta vermelho (Leiria, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Viseu, Aveiro, Vila Real, Braga, Porto e Viana do Castelo), prevê-se a possibilidade de rajadas de vento até 150 quilómetros por hora no litoral e terras altas. Existirão períodos de chuva forte, que passarão a aguaceiros na tarde de sábado.

A eficiência do deficiente

Deficiente é aquele que não consegue modificar a sua vida,
aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive,
sem ter consciência de que é dono do seu destino.

Louco é quem não procura ser feliz com o que possui.

Cego é aquele que não vê seu próximo morrer de frio,
de fome, de miséria. E só têm olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.

Surdo é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um
amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e
quer garantir seus tostões no fim do mês.

Mudo é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.

Paralítico é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.

Diabético é quem não consegue ser doce.

Anão é quem não sabe deixar o amor crescer.

E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois Miseráveis são todos que não conseguem falar com Deus.
A amizade é um amor que nunca morre.

(Extraído do dicionário particular de Mário Quintana)

Meu pé esquerdo

Eu uso este filme para falar de motivação e persistência
Meu pé esquerdo


Christy Brown (Daniel Day-Lewis), o filho de uma humilde família irlandesa, nasce com uma paralisia cerebral que lhe tira todos os movimentos do corpo, com a exceção do pé esquerdo. Com apenas este movimento Christy consegue, no decorrer de sua vida, se tornar escritor e pintor.

O filme mostra a persistência de um homem que em nenhum momento pensou em desistir da vida pelo fato de ser deficiente, pelo contrário, fez questão de mostrar ao mundo que também tem capacidade, mais que isso, habilidade que muitos de nós, por sermos normais não conseguimos fazer. Como sabemos, antigamente, pessoas que tinham algum tipo de deficiência eram tratadas como coitadinhas. Essas pessoas hoje estão ganhando seu espaço na sociedade o que é muito bom, pois, além de tudo elas são pessoas, pessoas que merecem respeito.

“Quanto mais dura a batalha mais gostoso é o sabor da vitória”. A luta de Christy Brown pela vida e contra o preconceito denota esse conceito em toda sua amplitude, revelando-nos quão importante é motivar, ser humilde e tratar o semelhante de forma igualitária, sem distinção.

Christy Brown enfrentou o sofrimento de ter nascido com uma enfermidade (Paralisia Cerebral) em uma família humilde, numa época de crise econômica e de grande adversidade sócio-cultural, onde a carência de recursos (Tecnologia e conhecimento) caracterizava a medicina neurológica. Entretanto, com muito esforço e persistência, unindo a vontade de viver com necessidade de se expressar, ele consegue atingir seu principal objetivo, ser visto e tratado com igualdade.

A arte foi para ele, a forma mais coerente de se expressar, de transmitir seus sentimentos e de provar sua autonomia para todos que o viam como um “pobre vegetal”, pois foi através da literatura e da pintura, principalmente dessa última, que ele se revelou e conseguiu atingir o interior das pessoas, conseguiu também, transpor preconceitos, propalar seu drama e além de conquistar o respeito da comunidade encontrou um meio para sobreviver financeiramente. Mais importante ainda, é que foi através dessa que ele despertou o interesse e o amor de sua então companheira (Mary Carr), complementando assim o seu ideal, sua maior vitória.

A família e os amigos foram a base de sua motivação, o pilar principal de sua obra, a qual retrata a luta, a garra, a perseverança e o sucesso de um entre tantos, que mesmo com menos privilégio do que os demais alcançou seu objetivo, adquiriu respaldo, conquistou o respeito da sociedade e deixou para nós uma lição: A história de sua vida.

A vida é cheia de altos e baixos e por muitas vezes sentimos que não somos capazes de superar determinados obstáculos, realizar determinadas tarefas, então que essa história nos sirva de inspiração, que abra nossas mentes antes de julgarmos alguém e/ou alguma coisa, até nós mesmos e nos leve ao mais alto gral de motivação.

Afinal a realização financeira e profissional que tanto buscamos depende muito da nossa base conceitual, pois sábio é saber tomar proveito da experiência alheia implementando seus conceitos.

Inteligência Existencial - Olhar o Verde

Olhar o verde deixa o homem mais gentil - A natureza tem uma poderosa ação sobre o homem

Ambientes naturais aproximam as pessoas, fazem crescer os valores pela comunidade e nos tornam mais cuidadosos com o próximo, diz estudo

Ao que parece, a natureza realmente tem uma poderosa ação sobre o homem. Pesquisadores da Universidade de Rochester, EUA, monitoraram os efeitos de ambientes naturais e artificiais e descobriram que cenários naturais nos deixam mais gentis.

"Já se sabia que eles trazem benefícios à saúde que vão da redução do estresse à cura mais rápida de algumas patologias. Agora, descobrimos que também aproximam as pessoas, fazem crescer os valores pela comunidade e tornam as pessoas mais cuidadosas com o outro", declarou Richard Ryan, coautor do trabalho.

O poder da natureza é tão profundo, garante ele, que se você não tiver tempo ou condições de viajar para algum lugar repleto de árvores e flores, basta dar um download em uma foto que mostre um ambiente assim. E ele dá outras dicas:

› encha a casa de flores e plantas, nem que sejam artificiais;
› decore o quarto ou a sala com fotos de árvores e/ou animais;
› no trabalho, tente sentar perto da janela. Impossível? Baixe um papel de parede em seu computador que mostre uma paisagem ou o pôr do sol;
› escute CDs que tragam ruídos de natureza, por exemplo, uma cachoeira;
› veja filmes que tenham como pano de fundo belas paisagens;
› sempre que tiver um tempinho, procure passear em um parque de sua cidade.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Brasil & Portugal agora com 3 horas de diferença

http://www.horariodebrasilia.org/

Ler Afectos e comer letras afectivas

Se você está perto de Viseu e tiver um tempinho disponível para ouvir sobre afectividade na leitura e a importância que ela exerce nas crianças, jovens e adultos. Será no dia 4 de março as 16hs para jovens e as 20hs para os adultos.

- «Encontro com a escritora/psicóloga Angela Escada», pelas 15h30

Sessão sobre leitura e afectividade para alunos do 3º Ciclo e Secundário.

- «Partilhar Leituras & Afectos» com Angela Escada (escritora e psicóloga) e as Escolas de Mangualde, pelas 20h30

Sessão sobre leitura e afectividade destinada a pais, professores e comunidade em geral, seguida de uma intervenção dos alunos das escolas.

http://www.faroldanossaterra.net/%C2%ABladainha-da-leitura%C2%BB-no-arranque-da-%C2%ABsemana-da-leitura%C2%BB-do-municipio-de-mangualde/

http://esfabib.blogspot.com/

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Tudo está dentro de você!

"Nada lhe posso dar que já não exista em você mesmo.
Não posso abrir-lhe outro mundo de imagens,
além daquele que há em sua própria alma.
Nada lhe posso dar a não ser a oportunidade, o impulso, a chave.
Eu o ajudarei a tornar visível o seu próprio mundo, e isso é tudo”
(Hermann Hesse)

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

BANCO LOCAL DE VOLUNTARIADO DE GONDOMAR

BANCO LOCAL DE VOLUNTARIADO DE GONDOMAR
A Câmara Municipal de Gondomar encontra-se a dinamizar um Banco Local de Voluntariado. O BLV de Gondomar é uma estrutura que permite facilitar o voluntariado, instituindo-se como um espaço de encontro entre pessoas que expressam a sua disponibilidade e vontade para serem voluntárias e entidades, que reúnam condições para integrar voluntários/as e coordenar o exercício da sua actividade.
Nesse sentido, vai decorrer uma Acção de Formação para Voluntários/as, no próximo dia 05 de Março, das 09h30 às 18h00, na Biblioteca Municipal de Gondomar.
Inscreva-se através dos contactos:
Tel: 224 663 982 | Fax: 224 663 984
E-mail: gondomar.redesocial@gmail.com

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Garagem do futuro

http://www.woehr.de/de/projekte/madrid_m710/index.htm

Modelo da garagem em Madrid.... que economia de tempo e de reparos nos carros.

sábado, 20 de fevereiro de 2010

1001 surpresas

Se você tem ideias fantásticas para oferecer pequenas prendas, mas não tem tempo de as colocar em prática, pode visitar http://1001surpresas.blogspot.com/

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Radar na via verde

JÁ INAUGUROU O CONTROLO NA VIA VERDE

Atenção Foram inaugurados, os radares de controlo de velocidade, em todas as vias verdes.
Não esquecer que o LIMITE de VELOCIDADE é 60 Kms/hora!!! Senão....
Carta apreendida e 150.00 euros.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Muita internet pode levar à depressão

Estudo associa doença ao uso excessivo da rede mundial de computadores

Há uma forte relação entre o uso excessivo de internet e a depressão, segundo estudo britânico recentemente publicado na revista médica Psychopathology.

Avaliando, com um questionário on-line, mais de 1,3 mil pessoas com idades entre 16 e 51 anos recrutadas em sites de relacionamento, os pesquisadores da Universidade de Leeds notaram que 1,2% das pessoas eram “viciadas em internet” - tinham um hábito compulsivo e trocavam as interações sociais reais pelas virtuais - e muitas delas estavam deprimidas.

“A internet, atualmente, desempenha um enorme papel na vida moderna, mas seus benefícios são acompanhados pelo lado mais sombrio”, disse a pesquisadora Catriona Morrison, líder do estudo. “Há um subgrupo da população que acha difícil controlar quanto tempo gastam on-line, ao ponto de interferir em suas atividades diárias”, destacou a especialista. De acordo com ela, essas pessoas, no estudo, eram cinco vezes mais deprimidas do que aquelas que acessavam a rede com moderação.

“Nossa pesquisa indica que o uso excessivo da internet está associado à depressão, mas não sabemos o que vem primeiro - as pessoas deprimidas são levadas à internet ou a internet causa depressão?”, ponderou Morrison, destacando a necessidade de mais pesquisas sobre o assunto.

Por outro lado, críticos da pesquisa argumentam que é difícil diagnosticar o vício em internet, e que, da mesma forma que algumas pessoas deprimidas ou ansiosas recorrem à rede, outras veem muita TV ou compram demais. Fernando Fischer

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Filme "The Family Man" (2000 - 121m)

Assisti pela 2ª vez este filme. Tem umas cenas muito interessantes que nos levam a reflectir sobre escolhas...

"The Family Man" (2000 - 121m)

SINOPSE
E se...
Tivesse feito outra escolha?
Tivesse dito sim em vez de não?
Tivesse uma segunda oportunidade?

Há 13 anos, quando Jack Campbell (Nicolas Cage, 60 Segundos) partiu para Londres, para um prestigiado estágio, prometeu à sua namorada Kate (Téa Leoni, Impacto Profundo) que só estariam longe um do outro durante um ano.
É Natal, Jack vive sozinho e é um dos homens mais poderosos de Wall Street e Kate é apenas uma distante memória do passado.
Parando numa loja a caminho de casa, Jack vê-se no meio de uma discussão entre o dono da loja e um jovem perturbado vagabundo Cash (Don Cheadle, Tráfico, Missão a Marte) que questiona os valores da vida de Jack.
Chegado à segurança do seu apartamento de luxo, Jack adormece... acordando num apertado quarto dos subúrbios de New Jersey, ao lado de Kate, 13 anos mais velha, com um bebé a chorar no quarto ao lado e uma miúda de seis anos a chamar-lhe pai.
E é só o princípio de uma longa lista de surpresas para Jack...

REALIZADOR
Brett Ratner

INTÉRPRETES
Nicolas Cage, Tea Leoni, Don Cheadle, Jeremy Piven, Makenzie Vega, Saul Rubinek, Josef Sommer, Jake Milkovich, Ryan Milkovich, Lisa Thornhill, Harve Presnell, Mary Beth Hurt, Amber Valletta, Francine York, Ruth Williamson, John O'Donahue, Daniel Whitner.

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Mais uma viagem com grande aprendizagem

A minha viagem a Suécia (Estocolmo e Gotemburgo) fou super divertida. Imprevistos por todos os lados.
Eu sabia que ia sentir frio, porém como da última viagem a Gotemburgo eu consegui suportar bem, descansei... foi um engano!

Logo no primeiro dia, na chegada a Estocolmo encontrei a "Central Station" do metro cobertinha de neve e quase congelamos.
video

No dia seguinte fomos a correr para a estação do metro de Odenplan onde tinha sido instalada uma escada piano e eu ia tocar piano com os pés, para comemorar o meu aniversário, massss oh! estava desactivada.

Para não lamentar muito, fiz um filme na praça da estação.

video

Como que a me compensar da não escada piano (risos), resolvi brincar nesta escada que parecia ser uma das escadas mais longas que eu já andei e fiquei a subir e descer e depois resolvi fazer um filme para mostrar a vocês. o percurso completo é feito em 45segundos.

video

Também foi diferente e interessante estar nos mesmos lugares que eu estive em Novembro, sem neve. Nem parece o mesmo lugar.

Vejam a diferença:


Este rio por exemplo, estava totalmente congelado. Vejam como fica bonito!

video

A viagem de volta para Gotemburgo foi tranquila, mas já encontramos o Aeroporto de Broma com bastante neve, mas o avião foi obediente.

video

No entanto, o mesmo não aconteceu no Goteborg City Airport que a neve castigou mais do que nós queríamos e o avião ficou foi paradinho na pista, saímos todos de dentro do avião e não tivemos alternativa se não dormir ali mesmo sobre cadeiras e pequenos sofás.



Completei 23hs de aeroporto, assim já tenho material para escrever um livro sobre a neve, as consequências dela, a dormida colectiva numa mistura de nacionalidades, de cheiros, de roncos e peidos e de friiio tbm….

A reação das pessoas diante das desinformações, pessoas assustadas e outras com grande dificuldade em aceitar aquela fatalidade. A resposta que todos ouviam era: "nothing to do"...

Algumas pessoas consumiram muita energia reclamando e exigindo um hotel para acomodar os passageiros e nenhuma autoridade assumiu esta responsabilidade. O que se conseguiu foi que os responsáveis pelo aeroporto concordassem que dormissemos lá, visto que já eram 1.30 da madrugada quando saímos de dentro do avião. Táxi e hotel para todas aquelas pessoas naquele horário, com aquele tempinho maravilhoso, seria mesmo uma demora imensa e de manhã fazer o caminho inverso.

Mesmo assim, teve uma pessoa que se recusou a dormir naquelas condições. Ficou a noite acordada.

Como eu durmo com muita facilidade, dormi bem até as 5.30hs da manhã e depois fiquei a observar as pessoas, as reacções, a irritação... um grupo de jovens de diversas nacionalidades tinha baralho de carta e lá formaram um grupo para jogar cartas.

Sou uma sortuda pq tenho portátil, banda larga e telemóvel como companhia…..bem, eu que não gosto de máquinas, passei a achá-las um pouco mais
interessantes….

Ai, que saudade da minha sopinha…..só sandes o tempo todo…

Bem, consequentemente, com o cancelamento do voo de Gotemburgo para Londres, eu perdi o voo de Londres para o Porto. Desorganizei toda a agenda, cancelei compromissos e agora ando as voltas com a agenda.

Eu digo sempre que devemos nos observar em cada situação, identificar o nosso comportamento, aproveitar a aprendizagem e eu reflecti que aceito com muito mais facilidade a minha impotência diante de certas situações. Na verdade, inicialmente eu achei que estava até ficando passiva demais, porém reflecti e concluo que de facto não é passividade e sim o saber lidar com a impotência. Uau!!! Boa aprendizagem!

Para concluir este breve relato, que pode ser o início de mais um livro sobre resiliência e saber lidar com a impotência, deixo uma mensagem que senti vontade de gravar.

video

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Farmácia Internacional

http://www.shopmania.co.uk/shopping~store-farmacia-internacional~m-533.html

No fio dos limites - um filme real

Outro filme com uma história real portuguesa, bem perto de nós: "No fio dos Limites" http://video.google.com/videoplay?docid=4183693123101601963&ei=-I1AS96PIYiM2AKv97TMCg&q=%22simone+ferreira%22#

Simone Ferreira não quer que lhe falem em limites. Tem 26 anos, sofre de paralisia cerebral e é a protagonista do filme "No fio dos Limites", da realizadora alemã Cristine Riech, um documentário que pretende sensibilizar a sociedade para os problemas das pessoas portadoras de deficiência.

No filme, tal como na vida, Simone revela o olhar dos outros sobre a deficiência: as suas agruras e dificuldades, mas também a sua vontade de viver e de se sentir útil numa sociedade que, tal como afirma Cristine Riech, "não está preparada para a existência de deficientes".

Nascida numa família humilde de Ribolhos, no concelho de Castro Daire, Simone Ferreira foi descoberta por Cristine Riech quando procurava uma pessoa com determinadas características para ser a protagonista de um filme que ilustra as "múltiplas dificuldades" de quem é portador de deficiência.

"Foi amor à primeira vista", afirma a realizadora alemã que desde logo sentiu que Simone era a actriz "perfeita e ideal" para um papel onde "não era preciso representar", mas antes "mostrar aquilo que diariamente faz". Como por exemplo preparar o pequeno-almoço, escrever, falar ao telemóvel, pôr a mesa ou simplesmente estar à lareira.

Quando soube que foi a escolhida para ser a protagonista do filme, Simone Ferreira não coube em si de contente, ela uma mulher que apesar das limitações, luta para se sentir útil e para fazer aquilo que o comum dos mortais faz: trabalhar, ter uma família e não se sentir dependente, por mais antagónico que pareça. "Foi muito bonito fazer o filme, conheci novas pessoas e fui muito bem tratada", confidencia a jovem.

"Posso ser muito útil, eu quero ser útil e não gosto que me vejam como uma coitadinha, porque eu não o sou. Tenho sentimentos, tenho gosto em viver, sinto-me é apenas traída pela minha deficiência da qual não tenho culpa nenhuma", refere à Domingo Magazine Simone Ferreira.

Por causa da participação no filme, Simone tem sido convidada para participar em seminários e colóquios onde a deficiência é tema central. Fá-lo com gosto e delicia a plateia com o seu à-vontade e determinação em defender "que as pessoas com deficiência, à sua maneira, são tão válidas como as outras".

Essa também é a ideia da realizadora Cristine Riech, que com o filme pretende demonstrar que os deficientes "são pessoas como nós" e apenas têm diferenças físicas.

"Através deles podemos ver o grau de humanismo de nós próprios, eles ajudam-nos a redefinir os valores da vida. Nós temos muito a aprender com pessoas como a Simone. As limitações das pessoas com deficiência muitas vezes surgem por causa da inacessibilidade às condições certas de educação e pela exclusão social em geral. Muitas vezes não são desejados. O que podemos aprender com a Simone é que há sempre um sorriso possível no meio das lágrimas", salienta Cristine Riech que ficou encantada com a jovem de Castro Daire.

Simone concorda com a sua amiga alemã. A jovem dá mesmo um exemplo: foi convidada para trabalhar no arquivo da Confederação Nacional dos Organismos de Deficientes (CNOD), em Castro Daire, mas ainda não está no activo porque até hoje não foi encontrada uma sala apropriada a ela. "Estou muito triste e quero começar a trabalhar o quanto antes. Estou farta de estar em casa sem fazer nada", afirma a jovem.

AMOR DE MÃE

Simone Ferreira tem quatro irmãos. Ela é a mais velha. A mãe, Célia Ferreira, lembra que quando era miúda a Simone "não gostava de meninas", pensava que era deficiente "por ser rapariga".

"Mas quando viu a irmã a andar pela primeira vez chorou de alegria, ficou muito contente, mas perguntou: 'Mãe, porque é que a mana anda e eu não?'", conta Célia Ferreira que desde sempre acompanhou a Simone para todo o lado.

"Eu era uma pessoa muito tímida e com grandes dificuldades em resolver certos problemas. Foi a Simone que me obrigou a ser quem sou; ela fez-me diferente pela positiva, ensinou-me a lutar", acrescenta Célia Ferreira que se mostra orgulhosa da forma de estar da filha.

Tal como todos os jovens, Simone gosta de se divertir, sair com os amigos e tem os seus ídolos. Benfiquista desde pequenina, gostaria um dia de ir ver um jogo do seu clube e de estar com o seu jogador preferido: Nuno Gomes. No plano musical, é admiradora do espanhol Henrique Iglesias.

"Gosto muito de ouvir música, de ir às discotecas e de estar com os amigos", referiu a jovem, salientando que gostava de ter um filho, mas não tenciona casar, porque o casamento "é uma prisão". "Já me apaixonei, mas desiludi-me", refere Simone Ferreira, que em cada expressão solta um genuíno sorriso de felicidade, apesar das contrariedades com que tem que lidar diariamente. "Sem culpa nenhuma", conclui.

‘NO FIO DOS LIMITES’

Simone Ferreira, a actriz, partilha com a protagonista do filme 'No Fio dos Limites' mais do que o nome. A obra da alemã Cristine Riech narra a história de Simone, uma rapariga de 26 anos que vive perto de Viseu.

A personagem tem paralisia cerebral: não pode andar nem estar em pé, mexe uma mão com dificuldade e fala de uma maneira dificilmente perceptível por desconhecidos.

Embora esteja a fazer um estágio na biblioteca mais próxima, o seu futuro está aberto: será que alguma vez vai ser capaz de manter um emprego? Será que alguma vez vai poder viver independentemente dos pais? Será que alguma vez vai ter sorte no amor? Simone sente-se isolada da sociedade mas a sua alegria de viver continua inabalável.

CRISTINE RIECH

"NÃO ESTAMOS PREPARADOS"

A alemã Cristine Riech vive em Portugal há oito anos. Fez uma série de quatro filmes sobre pessoas portadoras de deficiências profundas – obras essas muito solicitadas por escolas e autarquias.

O objectivo é claro: sensibilizar o público para as dificuldades que as pessoas com capacidades diminuídas enfrentam no quotidiano.

Uma realizadora alemã faz filmes em Portugal. Porquê?

Não cheguei a Portugal para fazer filmes. Vivo cá há oito anos, passei um terço da minha vida em Portugal. Tenho aqui muitos dos meus amigos e faço simplesmente o meu trabalho. Estou nesta situação por curiosidade, espírito de aventura e por prazer. No entanto tornei-me uma ‘inbetweener’, alguém que vive entre duas culturas e isto reflecte-se nos meus filmes como acontece em 'Exílio', 'Paraíso em Lugar Nenhum' e 'Requiem para a Minha Mãe'.

O que pretendeu ao rodar 'No Fio dos Limites'?

Este filme faz parte da série 'Outros Sonhos': 'Olhar por Dentro', 'Fragmentos de um Tempo Lento', 'No Fio dos Limites' e 'Mundo Silencioso'. É uma tetralogia sobre vários tipos de deficiência e cada um dos filmes retrata um caso específico: cegueira, deficiência motora, paralisia cerebral e surdo-mudez. Estes filmes têm sido solicitados por escolas, câmaras municipais e associações de todo o País, o que me surpreendeu. O objectivo é a sensibilização para os problemas das pessoas portadores de deficiência, e tentar mudar a mentalidade de encarar e ver estas pessoas.

Porque é que escolheu a Simone?

A Simone é uma jovem mulher muito especial. Dentro do ambiente social em que vive é uma provocadora. A provocação dela, passa pelos desejos simples que qualquer jovem na idade dela tem e nos quais insiste incansavelmente: namorar, ir à discoteca, ter um emprego e viver independente dos pais. Estes desejos tornam-se incompatíveis com a sua deficiência: ela não consegue andar, mexe uma mão com dificuldades e a sua fala é dificilmente perceptível.

Ir à discoteca na situação da Simone é um acto revolucionário, e o convívio autónomo com as suas duas amadas amigas, elas próprias deficientes, um acto de resistência. A grande sorte da Simone é saber seduzir: Simone é bonita e viva, gosta de divertir-se e gosta de partilhar esperanças e problemas. Eu própria não fui capaz de resistir a Simone.

Ela saiu-se bem na representação?

O trabalho com ela foi extremamente rico. Ela tem um espírito rebelde e nunca faz exactamente o que se pede: sempre acrescenta algo surpreendente dela própria. Simone é aberta a tudo que sejam experiências novas e a comunicar com outras pessoas. As dificuldades dela, de ficar à vontade em presença da equipa e com a câmara, foram fáceis de ultrapassar, com amizade.

Em seu entender, como é que a sociedade portuguesa vê as pessoas portadoras de deficiência?

A sociedade portuguesa é como é, e, apesar de eu ser alemã, podia começar por mim própria: nunca antes na minha vida tinha conhecido de perto pessoas portadores de deficiências profundas. Não procurei o contacto deles porque a diferença física deles, no fundo, assustava-me.

Assim tentei esquecer-me que eles existiam, porque a sociedade também não fornece muitas possibilidades de contacto. Se eu tivesse tido cegos, surdos ou alguém com paralisia cerebral como colega no liceu, se calhar, já pensaria de outra maneira e teria reconhecido mais cedo o que há para aprender com eles.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Aprenda a ser Feliz - Tal Ben-Shahar (2007)

“Se somos tão ricos, porque não somos felizes?” Enquanto as pessoas acreditavam que tinham que satisfazer as suas necessidades básicas para serem realizadas era fácil explicar a infelicidade. Hoje há um paradoxo difícil de explicar.

“Sou Feliz?” Esta é uma questão fechada, que sugere uma abordagem de “sim ou não” e que não é eficaz. Vale mais perguntar a si próprio: “como posso ser mais feliz?”.

TEMPO
A forma de lidar com o tempo tem influência directa na nossa felicidade. Segundo o autor, para atingirmos a felicidade duradoura devemos, por um lado, apreciar o momento presente ao mesmo tempo que perseguimos um objectivo futuro.

Assim, por um lado, devemos ter PRAZER no que fazemos. Por outro, devemos fazer coisas com SIGNIFICADO.

Uma boa forma de analisar a nossa relação entre prazer e significado é “dissecar” as actividades diárias em:
- tempo (horas);
- significado (1-5)
- prazer (1-5)

Olhe para a sua vida. Tempo de fazer algumas mudanças??

METAS
Segundo um estudo de David Watson, é o processo de nos empenharmos nas metas – e não alcançá-las por si só – que é crucial para a felicidade. AS METAS SÃO MEIOS, NÃO APENAS FINS. . O seu papel apropriado é libertar-nos para que possamos apreciar o aqui e agora.

DINHEIRO
Se lhe perguntar: “ao fim de um ano, quem é mais feliz: uma pessoa que ganhou a lotaria, ou uma pessoa que ficou tetraplégica?”. Um estudo de Philip Brickmon comprovou que passado um ano as pessoas voltavam ao seu estado “normal” de felicidade que tinham anteriormente.
O dinheiro – alem do mínimo essencial necessário para comida e abrigo – não passa de um meio para atingir um fim. No entanto, confundimos muitas vezes meios com fins, que sacrificamos a nossa felicidade (FIM) em prol do dinheiro (MEIO). Um exemplo claro

TRABALHO
Nos EUA apenas 50% das pessoas declaram estar satisfeitas com o seu emprego (imagino em Portugal).

Do que precisamos para implementar a mudança nas nossas vidas é coragem. E a coragem não é ter medo. É TER MEDO E MESMO ASSIM IR EM FRENTE.

3 formas de encarar o trabalho:
- como um emprego
- como uma carreira
- como uma vocação

De que forma encara o seu? É necessário um esforço consciente e concertado para descobrirmos a nossa vocação, porque somos normalmente encorajados a seguir o que fazemos bem e não aquilo que QUEREMOS FAZER.

3 questões que deve fazer para encontrar o SEU trabalho:
- o que me traz SIGNIFICADO?
- O que me dá PRAZER?
- Quais as minhas QUALIDADES?

É na intersecção destas 3 questões que encontrará a resposta!

RELAÇÕES
Muitos acreditam que a chave para uma relação de sucesso é encontrar o parceiro certo. No entanto a componente mais importante de uma relação feliz NÃO É encontrar a pessoa certa mas antes APERFEIÇOAR a relação ESCOLHIDA.

GENEROSIDADE
Quanto mais ajudamos os outros, mais felizes somos e quanto mais felizes somos maior propensão temos para ajudar os outros.

EXERCÍCIO
Imagine que tem 110 anos. Acabou de ser inventada uma máquina do tempo e dão-lhe a oportunidade de regressar ao momento presente por 15 minutos. O que diria ao seu EU ACTUAL? Que conselhos lhe daria?

CONCLUSÃO
Temos uma vida feliz quando retiramos prazer e significado da companhia dos outros, ou da aprendizagem de algo novo, ou do empenho que dedicamos a um projecto no emprego. Quanto mais preenchermos os nossos dias com estas experiências mas felizes seremos. E É SÓ ISTO!

O valor de um filho

Este trabalho foi realizado por um grupo de alunos estudantes de enfermagem.
Estão de parabéns pela humanização que demonstraram neste trabalho.
merece ser partilhado com todos.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Marcação electrónica de consultas médicas

Marcação electrónica de consultas médicas...
Se quiseres fazer marcações electrónicas de consultas para os Centros de
Saúde e obter informações sobre medicamentos e farmácias poderás aceder,
ao seguinte endereço:

http://www.portaldasaude.pt/portal/conteudos/servicos+online/eagenda.htm

O meu aniversário de 58 anos

Esta data é mesmo especial para mim.
E especial para muitas outras pessoas também.
e mais especial ainda para quem me dedica as mensagens que recebi ontem.
Adorei pessoALL!
A todos os que me escreveram desejanado coisas bonitas, eu digo-vos que o universo envia em dobro o que se deseja de bom para as pessoas.
Eu destaco alguns das mensagens que recebi, para representar todas as outras que recebi por email, telemóvel, facebock, orkut, etc...
Oi Angela,
Na India existe uma lenda que diz que no dia do nosso aniversário, a alma lembra-se porque veio. Ficamos mais conectados com os desígnios de nosso mais profundo ser.
Hoje, é o que te desejo de mais sincero: que você escute os recados de sua alma, e abra-se para realizar o que de mais nobre e belo veio fazer.
Te desejo um dia de paz, amor e belso encontros e reencontros consigo mesma e com seus amigos.
Beijos, Sonia Boechat


Porque hoje é um dia muito especial para você, para todos os que a conhecem é um dia de comemoração, por isso cá estou, fazendo parte deste gupo de "amigos" que a felicitam.

Parabéns minha querida por mais um ano de vida, desejo-lhe muitas felicidades, saúde, paz, Amor, amizade e todas as coisas que que forem do seu desejo para a realizar e a alegrar!

Pessoas como a Dr. Angela não vem ao mundo à passeio, mas conseguem transformar a vida de muitas pessoas, ajudando-as a seguir em frente essa grande viagem, através do seu dom de enchergar para além do que está à vista.

Com muito carinho e respeito, beijinhos grandes de Feliz Aniversário!
Rejane

"Em certa ocasião alguém perguntou a Galileu Galilei:
- Quantos anos tens?
- Oito ou dez, respondeu Galileo, em evidente contradição com sua barba branca.
E logo explicou:
- Tenho, na verdade, os anos que me restam de vida, porque os já vividos não os tenho mais."
Susana Mota

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Biblioteca Digital Mundial

~Biblioteca Digital Mundial
É da Unesco. Aprendendo a navegar na biblioteca, pode-se ampliar fotos, assistir documentários, enviar manuscritos raros.

www.wdl.org/pt/