Links Patrocinados

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2006

Portugueses no Brasil

De Brasil para Portugal - retransmito uma CARTA ABERTA AO MINISTRO FREITAS DO AMARAL

Rio de Janeiro, 15 de Fevereiro de 2006 Exmo. Sr. Dr. Diogo Freitas do Amaral M.D. Ministro do Estado dos Negócios Estrangeiros Ministério dos Negócios Estrangeiros Palácio das Necessidades Largo do Rilvas, s/n° Lisboa – Portugal Excelentíssimo Senhor Ministro: É dever de todo o governante, traduzir suas acções em actos de competência, interesse público e economia de recursos públicos, com o qual todas as pessoas de bem e de saber não podem deixar de concordar. Entretanto, apesar de considerar que V. Exa. tem procurado obedecer tais ditames e procurado conduzir a pasta que dirige de forma brilhante e exemplar, não posso deixar de apresentar um reparo, da maior envergadura, quando tenho a notícia do despedimento, sem substituição, dos Conselheiros Social e Económico da nossa Embaixada em Brasília, facto que deixou altamente preocupada toda a comunidade portuguesa do Brasil, receosa das dificuldades que poderão advir dessa decisão. O Brasil, como V. Exa. sabe, possui uma comunidade portuguesa com elevado número de integrantes e com grande número de associações representativas, estando bastante envelhecida e com muitas pessoas a viver sob sérias dificuldades económicas, necessitando mais do que a maioria das outras de um apoio social do Estado Português. A prova do que afirmo se traduz nos números de concessão do ASIC (Apoio Social aos Idosos Carenciados das Comunidades Portuguesas), cujo principal destinatário dos benefícios é o território brasileiro, sendo imprescindível a manutenção de um Conselheiro Social para atender as necessidades daí decorrentes. Por outro lado, tendo o Brasil se revelado, na última década, como o principal destino dos investimentos portugueses no estrangeiro e quando Portugal tem procurado obter junto a investidores brasileiros o interesse para que os mesmos invistam em Portugal e o transformem na porta de entrada do Brasil na União Européia, não se compreende a supressão do Conselheiro Econômico na nossa Embaixada, sob pena de ficarem prejudicadas tais políticas e iniciativas. Diante do exposto, rogo a sua douta apreciação ao assunto, solicitando-lhe a devida reparação com a manutenção dos referidos cargos em nossa Embaixada em Brasília, como prova do seu interesse público e da sua atenção com os portugueses do Brasil. Atenciosamente Eduardo Artur Neves Moreira Ex-Presidente do Conselho Permanente das Comunidades Portuguesas Ex-Deputado da Assembléia da República pela Emigração

Sem comentários:

Publicar um comentário